Sexta-feira, 15 de Julho de 2011

A Câmara do Porto quer construir na zona histórica da cidade um Centro Lúdico e Cultural dedicado à epopeia dos Descobrimentos

A Câmara do Porto quer construir na zona histórica da cidade um Centro Lúdico e Cultural dedicado à epopeia dos Descobrimentos para promover a atração turística e vai analisar o assunto na reunião camarária de terça-feira.

O documento, a que a Lusa teve acesso, estipula a abertura de um concurso público para seleção do trabalho que “melhor enalteça a Epopeia Marítima Portuguesa e que melhor promova a atração turística da cidade”.

A autarquia pretende “candidatar a proposta vencedora a uma linha de financiamento e caso a mesma venha a ser apoiada, avançará para o procedimento de ajuste direto para a concretização dos trabalhos de conceção, com o autor da proposta vencedora do concurso”, explica-se na proposta.

A intenção do município é que o Centro Lúdico “distinga as personagens do período de expansão marítima com maior ligação histórica à cidade do Porto”.

Na proposta, o presidente da autarquia, Rui Rio, refere que a cidade “possui um rico património histórico e cultural, ilustrativo do contributo da cidade no desenvolvimento da Epopeia Marítima Portuguesa” e que esse período da história portuguesa “constitui um importante fator de atração como elemento cultural de elevado potencial turístico”.

Rio nota, ainda, que o município “tem vindo a fazer uma aposta crescente no sentido de criar âncoras sustentadas que promovam uma maior atração de turistas e o alargamento do respetivo período de permanência na cidade”, mostrando-se necessário “complementar a oferta cultural e turística do Porto com os valores dos momentos mais relevantes da História de Portugal, entre os quais se destaca a época dos Descobrimentos”.

publicado por mhp às 12:35
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 11 de Julho de 2011

Elevador de Santa Justa completa 109 anos

 

 

 

 

 

O elevador de Santa Justa comemorou  dia 10 de Julho, 109 anos.


O elevador de Santa Justa é o único ascensor vertical da cidade de Lisboa e, do alto dos seus 45 metros no Largo do Carmo, proporciona uma das paisagens mais impressionantes da capital, com vistas para a Baixa de Lisboa, Castelo de São Jorge ou o rio Tejo.


Nasceu como Elevador do Carmo, mas actualmente é conhecido como Elevador de Santa Justa. É Monumento Nacional desde 2002 e uma das estruturas mais conhecidas e visitadas de Lisboa.


O Elevador de Santa Justa, que hoje é propriedade da CARRIS, operadora dos transportes públicos colectivos de superfície na cidade de Lisboa, foi projetado pelo engenheiro francês Raul Mesnier du Ponsard, no final do século XIX, início do século XX.


Inaugurado a 10 de Julho de 1902, o elevador é o único transporte do género em Lisboa que presta um serviço público.

publicado por mhp às 09:47
link do post | comentar | favorito

Descobertos nos Açores prováveis templos dedicados a deusa do século IV a.C.

Arqueólogos da Associação Portuguesa de Investigação Arqueológica localizaram no Monte Brasil, em Angra do Heroísmo, novos sítios arqueológicos, alguns dos quais poderão ser templos dedicados a Tanit, deusa cartaginesa, provavelmente do século IV a.C..
(…)
A APIA irá apresentar publicamente estas descobertas em congressos mundiais, que decorrem em Évora em Setembro deste ano (SEAC 2011) e em Florença (Itália) no próximo ano, no Simpósio de Arqueologia do Mediterrâneo.
(…)
Para efectuarem as investigações, os arqueólogos concorreram a um financiamento da Direcção Regional da Cultura dos Açores que foi recusado por falta de verbas.

 

Fonte: Público, 08.07.2011

publicado por mhp às 09:45
link do post | comentar | favorito

Braga: Turel ganha espaço na divulgação do património religioso

A Turel – Turismo Cultural e Religioso vai promover três produtos ligados aos ‘Destinos Atlânticos Europeus’, projecto que engloba Portugal, Espanha, França e Irlanda. Em comunicado enviado à Agência ECCLESIA, os responsáveis da cooperativa criada em 2003 elencam as suas novas propostas: ‘História do Minho’, ‘Locais Religiosos do Minho’ e ‘Peregrinos dos Santuários’. A Turel foi ainda escolhida para ser a entidade responsável pela distribuição do produto “Destinos Atlânticos Europeus” no Norte de Portugal. Esta iniciativa, inserida no projecto Ultreia, com início em 2009, pretende estimular o turismo sustentável nos países europeus que a integram. Actualmente, a cooperativa TUREL tem 58 cooperadores, dos quais 21 são pessoas singulares, agrupando entidades de natureza e características diversas: 4 dioceses, 5 irmandades, 6 confrarias, 17 câmaras municipais, 2 fundações, 1 associação empresarial e 2 sociedades comerciais.

publicado por mhp às 09:44
link do post | comentar | favorito

Biblioteca Nacional tem cópia de época do Códice Calixtino, desaparecido da Catedral de Compostela

 

 

 

Uma cópia do Códice Calixtino, dado como desaparecido da Catedral de Santiago de Compostela (Noroeste de Espanha), existe na Biblioteca Nacional de Portugal (BNP), disse hoje à Lusa fonte da instituição.


A cópia, datada de 1175, “é coeva do códice de Compostela”, disse a subdiretora da BNP, Maria Inês Cordeiro. Trata-se de uma cópia manuscrita mas que não tem a parte de música e iconograficamente é mais modesta, disse a responsável.


“Não tem grandes iluminuras, é mais modesto, mas são pouco mais de cem fólios, e inspira o nosso respeito pois é um exemplar bonito”, disse Maria Inês Cordeiro. A cópia do Códice pertencia à Livraria do Mosteiro de Alcobaça.

 

Fonte: RTP

publicado por mhp às 09:43
link do post | comentar | favorito
Domingo, 10 de Julho de 2011

ON.2 promove rede de cooperação dos espaços protegidos e classificados

O “ON.2 – O Novo Norte” (Programa Operacional Regional do Norte) promoveu a criação e dinamização de uma rede de cooperação composta por beneficiários com projectos apoiados no âmbito dos espaços protegidos e classificados, tendo em vista a comunicação, a partilha de informação, a troca de experiências e a cooperação entre os aderentes à Rede. São também objectivos da rede a identificação de constrangimentos comuns, às entidades beneficiárias, na execução física das candidaturas e a procura de soluções mais adaptadas, rápidas e económicas pelo carácter conjunto e/ou simultâneo que possam ter.


No contexto desta rede de cooperação, decorrem no mês de Julho duas reuniões de grupos de trabalho  – dia 5 de Julho, na Câmara Municipal de Caminha, e dia 19 de Julho na Associação para o Desenvolvimento Integrado de Picote, em Miranda do Douro –, onde serão discutidas actividades a desenvolver em conjunto pelos membros que serão integradas tanto no seminário anual promovido pela rede, subordinado ao tema das florestas, como no Ano Europeu da Água, que se assinala em 2012.


As reuniões terminam com visitas guiadas a projectos apoiados pelo ON.2 e que representam boas práticas de intervenção em espaços protegidos e classificados. São exemplos a Ecovia (Ca)Minho do Rio Minho, que liga Caminha e Vila Nova de Cerveira, o centro histórico de Caminha e a aldeia de Picote, incluindo uma visita ao miradouro da Fraga do Puio.

 

Para mais informações:
http://norteemrede.inescporto.pt/rede-informacao-regional/noticias-norte-em-rede/on.2-promove-rede-de-cooperacao-dos-espacos-protegidos-e-classificados

publicado por mhp às 14:56
link do post | comentar | favorito

Produtos Artesanais – Documento que regula certificação está suspenso há seis anos

O vice-presidente do Instituto do Emprego e da Formação Profissional (IEFP), Alexandre Rosa, disse esperar que o novo Governo aprove o decreto-lei do sistema nacional de certificação dos produtos artesanais tradicionais, documento que começou a ser elaborado há seis anos.


A certificação destina-se a garantir a qualidade da produção artesanal, protegendo o nome e origem do produto.


Em entrevista, Alexandre Rosa explicou que o documento, que começou a ser elaborado há cerca de seis anos, esteve quase a ser aprovado e estava em «processo legislativo» quando se deu a alteração governativa.


«As cartas de artesão são uma certificação dos produtores e das Unidades Produtivas Artesanais mas, não são do produto», disse o responsável.
Alexandre Rosa adiantou que o projecto de diploma que foi visto com os parceiros da área ficou concluído cabendo agora ao novo Governo «decidir pegar no dossier».


No entender do vice-presidente do IEFP, a certificação dos produtos artesanais tradicionais é um elemento muito importante para que os consumidores saibam que o produto que vão adquirir é de qualidade.«Já há alguns produtos no País certificados de forma informal no sentido de que não há uma lei do Estado mas que há um conjunto de práticas, nomeadamente no Minho, que já se desenvolveram no sentido de experimentar e testar uma metodologia de certificação dos produtos artesanais como é o caso do lenço dos namorados, do figurado de Barcelos e dos bordados de Viana do Castelo», disse.


Recorde-se que desde a aprovação do estatuto do artesão em 2004 e até 31 de Maio deste ano foram emitidas 1.982 cartas de artesão e registadas 1.713 Unidades Produtivas Artesanais (UPA). Estes dados não incluem a Região Autónoma dos Açores cujo processo de reconhecimento está a cargo do Centro Regional de Apoio ao Artesanato.Os dados do IEFP indicam que é no Norte (362) e na região de Lisboa e Vale do Tejo (457) que se situam a maior parte de UPA.


No que diz respeito aos grupos de actividades, 24% correspondem às artes e Ofícios têxteis, 20% a artes e ofícios da Cerâmica, 10% à madeira e cortiça e 7% aos trabalhos em metal.

publicado por mhp às 10:10
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 17 de Junho de 2011

Projecto “Às terças na sacristia do Mosteiro de Alcobaça”

O Projecto intitulado “Às Terças na Sacristia do Mosteiro de Alcobaça” visa a dar a conhecer a história do Mosteiro de Santa Maria de Alcobaça, bem como o património móvel e edificado que lhe está associado.Desta forma, se divulgarão os trabalhos de investigação desenvolvidos pelos Técnicos Superiores deste serviço do IGESPAR, IP.


As temáticas são variadas e abrangentes, incluindo áreas como a História, a Arte, a Arquitectura, a Conservação e Gestão de Colecções, e o Acervo da Casa – Museu Vieira Natividade.


A apresentação das conferências decorrerá, no espaço da Sacristia Nova, de acordo com a calendarização que se segue, estando o seu início marcado para as 16h30.

 

A entrada é livre.


Inscrições pelo telefone: 262 505 120.

 

Fonte: IGESPAR

publicado por mhp às 13:24
link do post | comentar | favorito

Exposição “Brinquedos Portugueses do séc. XX”, patente na Sala dos Azulejos do Museu Municipal de Esposende

 

 

Exposição “Brinquedos Portugueses do séc. XX”, patente na Sala dos Azulejos do Museu Municipal de Esposende até 31 de Julho. 

 

A exposição integra-se nas comemorações do centenário do edifício onde se instala o museu, o Teatro Club de Esposende, que em 1911 inaugurava uma relação da sociedade civil, então quase analfabeta e iletrada, com a Cultura e a Educação (popular e erudita) numa relação privilegiada com a Arte, Musica, Dança, Teatro e Cinema, e que passados 100 anos, entretanto convertido o uso do edifício para fins museológicos, lança agora o desafio para um olhar mais atento à realidade da Associação de Pais Professores e Amigos do Cidadão Deficiente Mental – APPACDM, a pretexto do brinquedo, da infância e dos valores sociais em torno da pessoa com deficiência intelectual, empenhando-se no apoio de actividades e iniciativas que visem o conhecimento sobre esta realidade, promovendo junto da sociedade civil novos valores para uma melhor e maior cidadania.


As visitas guiadas acontecem de Terça a Sexta, das 10.00h às 13.00h e das 14.00h às 17.30h. O museu pode ser visitado ao sábado, domingo e feriados locais 15 e 19 de Agosto, das 15.00h às 18.30h. Está encerrado às segundas e restantes feriados.

publicado por mhp às 13:22
link do post | comentar | favorito

FAUP lança Curso de Estudos Avançados em Património Arquitectónico

Entre os dias 15 de Junho e 15 de Julho de 2011, estão abertas as candidaturas ao Curso de Estudos Avançados em Património Arquitectónico (CEAPA), promovido pela Faculdade de Arquitectura da Universidade do Porto.


O CEAPA visa proporcionar formação especializada de nível pós-graduado (terceiro ciclo) na área do restauro, recuperação e reabilitação do património construído, que assegure a aquisição de competências e aptidões relevantes para as actividades de projecto e de investigação na área da salvaguarda do património arquitectónico.

 

Mais informações em www.arq.up.pt

tags: ,
publicado por mhp às 13:20
link do post | comentar | favorito

Lançamento do livro «Receitas da Casa do Mosteiro de Landim»

Lançamento do livro «Receitas da Casa do Mosteiro de Landim». Dia 18 de Junho, Sábado, 16h30m, na Casa do Mosteiro de Landim (Famalicão)


No dia 18 de Junho, Sábado, pelas 16h30m vai ser lançado em Famalicão, na freguesia de Landim, nos jardins da Casa do Mosteiro de Landim, o livro «Receitas da Casa do Mosteiro de Landim». A apresentação está a cargo das autoras dos textos de enquadramento do caderno de receitas – Maria Adelaide Sampaio da Nóvoa de Faria, sobrinha bisneta da autora do Livro de Receitas, e de Isabel Maria Fernandes, ex-directora do Museu de Alberto Sampaio e estudiosa da gastronomia minhota. Será servido um Porto de honra.

 

No livro que vai ser lançado reúne-se um conjunto de 187 receitas de doce retiradas do caderno manuscrito de Dona Maria Henriqueta Leal Sampaio, redigido entre final do século XIX e o primeiro quartel do século XX. Dona Maria Henriqueta Leal Sampaio era sobrinha do Historiador Alberto Sampaio, tendo a sua vida decorrido inicialmente em Guimarães, e, anos mais tarde, em Famalicão. Nesta cidade residiu na Casa de Boamense, e, mais tarde, na sua Casa do Mosteiro de Landim, propriedade onde viria a falecer.

publicado por mhp às 13:05
link do post | comentar | favorito

Túmulo nos Jerónimos poderá não conter os restos mortais de Camões

 

Vítor Aguiar e Silva, académico e investigador que se tem dedicado aos estudos camonianos, explicou à Lusa que, “com grande probabilidade, as ossadas guardadas no mausoléu dos Jerónimos “não são de Camões”.
O poeta terá sido sepultado na Igreja de Sant’Ana, em Lisboa, próxima da casa onde vivia a sua mãe, na calçada de Santana, mas “não se sabe exactamente onde foi colocado o cadáver, se dentro, se fora da igreja ou se até numa fossa”, sublinhou Aguiar e Silva.
Supõe-se que teria ficado sepultado do lado esquerdo da entrada principal da igreja e, anos mais tarde, D. Gonçalo Coutinho mandou colocar no local uma lápide de mármore em que refere Camões como “Príncipe dos Poetas do seu tempo”, que faleceu em 1579.
Vítor Aguiar e Silva afirmou à Lusa que “a memória falha”, o que justifica o engano no epitáfio do poeta, dando antes crédito ao documento da chancelaria de Filipe I (II de Espanha) que atribui uma tença à mãe de Camões e afirma que este morreu a 10 de Junho de 1580.
No entanto, desde o sepultamento, em 1580, à trasladação, três séculos depois, deu-se o terramoto de 1755, que destruiu muito a igreja, que foi ainda alvo, posteriormente, de obras para a construção de um coro alto.
Para Aguiar e Silva, “no estreito rigor histórico” ninguém sabe ao certo onde estão os restos mortais de Camões e “há as maiores dúvidas” que se encontrem na arca tumular nos Jerónimos, de autoria de Costa Mota Pio, onde invariavelmente Chefes de Estado e estadistas cerimoniosamente colocam coroas de flores quando visitam Portugal.
Os restos mortais do autor de “Os Lusíadas” foram transladados em 1880 para o Mosteiro dos Jerónimos, numa altura de exaltação patriótica a que não foi alheia a propaganda republicana que já se fazia sentir.
Uma comissão foi constituída e encarregada por Rodrigo da Fonseca, então ministro do Reino, de encontrar as ossadas do lírico e lhe dar sepultura digna, o que veio a acontecer no tricentenário da sua morte (1880).
Todavia, como alerta Aguiar e Silva, “até a própria comissão tem dúvidas da autenticidade do que trasladou”.
(…)

Fonte: Público, 09.06.2011

publicado por mhp às 13:04
link do post | comentar | favorito

Seminário “O AMbiente Digital Aberto: desafios e impactos”

Já se encontram disponíveis algumas das apresentações realizadas pelos oradores no Seminário “O AMbiente Digital Aberto: desafios e impactos”, que se realizou nos passados dias 23 e 24 de Maio na Biblioteca Lúcio Craveiro da Silva em Braga.

 

Poderá consultá-las em:  http://ambientedigitalaberto.wordpress.com/apresentacoes/

publicado por mhp às 13:00
link do post | comentar | favorito

“Casa Portuguesa” vai surgir em aldeia do concelho de Penela

Uma “casa portuguesa”, espaço que congregará produtos nacionais, vai ser inaugurada em setembro na aldeia de Ferraria de São João, no concelho de Penela, anunciou hoje a Câmara Municipal local.


A reconstrução, a partir de uma casa de pedra, começou em outubro de 2010, dando corpo a um espaço “onde se conjugam os elementos tradicionais de construção com as linhas simples da arquitetura contemporânea”.


A casa “será uma montra dos melhores produtos nacionais, desde materiais de construção, a mobiliário, decoração interior e exterior, instrumentos de lazer e obras de arte”, adianta uma nota da autarquia.


A finalidade da “Casa Portuguesa”, situada numa “Aldeia do Xisto”, é o aluguer temporário e atividades de promoção das artes rurais, de produtos portugueses e dos recursos naturais endógenos.

 

Fonte: Notícias do Centro

publicado por mhp às 12:58
link do post | comentar | favorito

Ruínas romanas de Tróia reabrem ao público

 

 

Classificadas como monumento nacional desde 1910, aquelas ruínas incluem estruturas com cerca de dois mil anos de história.


As ruínas romanas de Tróia são, na opinião de Jorge Alarcão, presidente da comissão científica que estudou o espaço, “a mais antiga zona arqueológica a ser escavada, ainda no tempo em que a rainha D. Maria I era infanta”, sendo alvo de pesquisas e estudos ao longo de mais de 400 anos.


O espaço que agora fica disponível para ser visitado inclui uma zona residencial, termas, necrópoles, um mausoléu e uma basílica paleocristã, inseridos num “complexo de produção de salgas de peixe que, posteriormente, se tornou um aglomerado urbano”, conforme explica Inês Vaz Pinto, que coordenou a equipa de arqueólogos.


As visitas têm um custo entre os quatro e os 7,5 euros, por pessoa. As visitas escolares são gratuitas.

 

Fonte: Público, 02.06.2011

publicado por mhp às 12:57
link do post | comentar | favorito

Recuperação do Teatro do Bolhão tem verba garantida e começa ainda este mês

 

 

O ministério da Cultura garantiu os 300 mil euros que faltavam para a recuperação do Palácio Teatro do Bolhão, no Porto, e as obras no edifício classificado começam ainda este mês, revelou à Lusa Pedro Aparício.


O director da Academia Contemporânea do Espetáculo (ACE) garantiu que “está assegurada, por contrato, a contrapartida nacional” que faltava para garantir a candidatura da obra de recuperação a verbas do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN).


Estavam já assegurados 700 mil euros de fundos comunitários para avançar com a segunda fase da recuperação do Palácio, mas faltava a contrapartida nacional, recorda Pedro Aparício.

 

Fonte: RTP

publicado por mhp às 12:55
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 3 de Junho de 2011

IGESPAR prevê lançar concurso internacional para hotel no Mosteiro ainda em 2011

O presidente da Câmara Municipal de Alcobaça convocou uma conferência de imprensa, no dia 20 de Maio, para fazer um ponto da situação sobre o processo de instalação de um hotel de luxo no Mosteiro de Alcobaça. Paulo Inácio revelou que recebeu uma resposta por escrito do IGESPAR em que este garante estar previsto o lançamento do concurso internacional para as obras de adaptação do Claustro do Rachadouro a unidade hoteleira ainda no decorrer de 2011.


Neste momento, o IGESPAR aguarda que a Comissão Nacional da Unesco emita um parecer obrigatório sobre o projecto de arquitectura de adaptação do Claustro do Rachadouro a hotel, que deverá dispor de, pelo menos, 60 quartos.


(…)

 

Fonte: Tinta Fresca

publicado por mhp às 20:11
link do post | comentar | favorito

Ministros da Cultura acordam sobre marca “Património Europeu”

Os ministros da Cultura da União Europeia acordaram lançar a marca “Património Europeu”, com o objectivo de destacar sítios que celebrem e simbolizem a história, os valores e o desenvolvimento da União Europeia.


Complementando outras marcas já existentes, nomeadamente “Património Mundial da Humanidade”, da UNESCO, a nova designação deverá ser atribuída aos sítios europeus em 2013. O processo de selecção arranca com a designação voluntária de quatro sítios por parte dos Estados-Membros, cabendo a peritos independentes a responsabilidade de avaliar as candidaturas que devem obter a marca.


A partir de 2015, a selecção terá lugar de dois em dois anos e os Estados-Membros passam a poder designar um máximo de dois sítios de cada vez, sendo que o júri seleccionará um máximo de um sítio por país.

 

Fonte: Norte em Rede

publicado por mhp às 20:10
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 3 de Maio de 2011

Apresentação Pública do Plano Estratégico para a Conservação e Restauro

4 de Maio, 15h00 

 

O Plano Estratégico para a Conservação e Restauro preconiza a criação do Conselho Regulador da Conservação e Restauro e da  Rede Nacional de Conservação e Restauro (RENACOR). Este plano estruturante permitirá, por um lado, tornar mais transparente a actividade da Conservação e Restauro, definindo competências e estabelecendo critérios de adjudicação e creditação de empresas e indivíduos e, por outro, promoverá a optimização e articulação de recursos humanos especializados, pertencentes a diferentes organismos do Estado bem como o reforço destas infra-estruturas, contribuindo, decisivamente, para uma presença efectiva no território, capaz de garantir o papel do Estado na salvaguarda do Património.


O Plano Estratégico para a área da Conservação e Restauro, da responsabilidade do Ministério da Cultura, será apresentado no Museu Nacional de Arte Antiga, dia 4 de Maio, pelas 15h00, com as presenças, da Senhora Ministra da Cultura, Drª. Gabriela Canavilhas, do Senhor Secretário de Estado da Cultura, Dr. Elísio Summavielle e do Director do Instituto dos Museus e da Conservação, Prof. Dr. João Brigola. 

 

Contacto

Instituto dos Museus e da Conservação
Maria Forjaz | 21 3650872 | 91 3606160

publicado por mhp às 00:30
link do post | comentar | favorito

Ciclo de palestras sobre Património: “Sábados às cinco com…”

 

 

Alexandra Carvalho “Os SIG na gestão do Património Cultural e Natural”, no Centro Cultural de Vila Nova da Barquinha.

7 Maio | 17h

 

 

publicado por mhp às 00:28
link do post | comentar | favorito

Parque Natural inventaria património rural da Madeira

O Parque Natural está a fazer o levantamento do Património Rural no Parque Natural da Madeira, no Norte e a Oeste da Ilha da Madeira. O projecto consiste no levantamento e divulgação do património rural existente no Parque Natural da Madeira, nos concelhos de Santana, São Vicente, Porto Moniz, Calheta, Ponta do Sol e Ribeira Brava.

 

Fonte: Jornal da Madeira

publicado por mhp às 00:23
link do post | comentar | favorito

III Encuentro latinoamericano de bibliotecarios, archivistas y museólogos

 

 

O II Encontro Latino-americano de Bibliotecários, Arquivistas e Museólogos (Ebam) será realizado em La Paz, na Bolívia, de 14 a 16 de setembro.

 

Para mais informações: http://ebam.gesbi.com.ar/

 

 

publicado por mhp às 00:21
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 25 de Abril de 2011

Seminário: "Redes de Museus" 20-21 de Maio em Vila Nova de Famalicão

 

 


A cidade de Vila Nova de Famalicão vai receber, nos próximos dias 20 e 21 de Maio, um seminário sobre redes de museus, que contará com a presença dos melhores especialistas nacionais do sector. O programa, que será divulgado oportunamente, está em fase de conclusão, sabendo-se, desde já, que o encontro, organizado pelo pelouro da Cultura da Câmara Municipal de Famalicão, terá lugar na Casa das Artes e contará a colaboração da Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

 

Intitulado “Redes de Museus – Território. Identidade. Património”, o seminário contará com um painel diversificado de especialistas, com destaque para os responsáveis pela Rede Portuguesa de Museus, João Carlos Brigola e Clara Camacho. Destaque ainda para a presença do programador da Capital Europeia de Cultura de 2012 em Guimarães, João Serra, para além de vários académicos, técnicos de museologia e coordenadores científicos de museus.

 

Neste âmbito, os museus da rede museológica de Vila Nova de Famalicão, cujo funcionamento em rede está em fase de implementação, vão também ser objecto de debate, estando prevista a apresentação de um plano de acção para os próximos anos.

 

Os coordenadores dos museus de Vila Nova de Famalicão (Casa-Museu de Camilo, Museu do Surrealismo, Museu Bernardino Machado, todos pertencentes à rede portuguesa de museus, sem esquecer os museus da Indústria Têxtil da Bacia do Ave, os núcleos ferroviários de Lousado e Nine e os museus de Arte Sacra da Lapa e de Antas e o da Cerâmica de Bairro) falarão das suas unidades e dos seus projectos para integrar esta rede.

 

A par das experiências no terreno, os especialistas e técnicos da área, entre os quais Armando Coelho, director dos cursos de mestrado e doutoramento da Universidade do Porto, e o designer Francisco Providência, apresentarão os conhecimentos teóricos mais recentes da museografia contemporânea. O programa detalhado será apresentado oportunamente.



 

Seminário REDE DE MUSEUS
Casa das Artes - 20 e 21 Maio

Organização
Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Pelouro da Cultura e Turismo
Universidade do Porto, Departamento de Ciências e Técnicas do Património da Faculdade de Letras  

Contactos
E-mail: geral@patrimoniodefamalicao.org
Telefone: 252 320 954


PROGRAMAÇÃO DO SEMINÁRIO

DIA 20 (SEXTA-FEIRA)


09h30 Sessão de abertura
Arq. Armindo Costa, Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão
Prof. Doutor Armando Coelho, Director do Departamento de Ciências e Técnicas do Património, da Faculdade de Letras da Universidade do Porto
Arqª. Paula Silva, Directora Regional de Cultura do Norte 

10h00 O Castro das Eiras e a Rede de Castros do Noroeste Peninsular” 
Prof. Doutor Armando Coelho, Coordenador Científico do Gabinete de Arqueologia da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão 
Dr. Paulo Costa Pinto, Doutorando de Museologia, Membro da Comissão Coordenadora da Rede de Castros do Noroeste, Investigador do CITCEM

Intervalo

11h00 O Programa Museológico dos Núcleos da Fundação Museu Nacional Ferroviário: o caso de Lousado e Nine
Prof. Doutor Jorge Custódio, Director do Museu Nacional Ferroviário 

11h30 O Museu da Indústria Têxtil da Bacia do Ave: um museu para um território” 
Prof. Doutor José Manuel Lopes Cordeiro, Coordenador Científico do Museu da Industria Têxtil da Bacia do Ave.

12h00 O Museu da Guerra Colonial – Arquivo de Memória Histórica
Dr. José Manuel Lages, Director Científico do Museu da Guerra Colonial 

12h00“O Museu da Guerra Colonial e os Museus Militares
Drª Mariana Jacob, Mestranda em Museologia, Faculdade de Letras da Universidade do Porto


12h30 Debate

Intervalo para almoço

14h30 “O Centro de Estudos do Surrealismo e a Rede de Centros de Arte Contemporânea
Dr. António Gonçalves, Director Artístico da Fundação Cupertino de Miranda

15h00 “Museus de Arte Religiosa – para que servem?” 
Dr. A. Martins Vieira, Coordenador Científico dos Museus de Arte Sacra da Lapa e de Antas

15h00 “Museus de Arte Sacra e o Turismo Religioso.”
Dr. Varico Pereira, Licenciado e Mestre em Turismo, Universidade de Trás-os-Montes, Director-Técnico da Turel

15h30 O Museu de Cerâmica da Fundação Castro Alves – Escola / Oficina
Dr. Manuel Boaventura, Presidente do Conselho de Administração da Fundação Castro Alves
Manuela Granja, Administradora e Coordenadora do Museu de Cerâmica da Fundação Castro Alves

Intervalo
    
16h30 As Casas de Camilo e de Rosalia: embrião de uma associação europeia de casas de escritor?” 
Dr. José Manuel Oliveira, Coordenador Técnico do Centro de Estudos Camilianos

17h00 A importância que espaços e pessoas tiveram na criação de obras de Camilo Castelo Branco – bases para um Itinerário Camiliano
Drª Fátima Castro, Investigadora

17h30 O Museu Bernardino Machado e a sua Inter-nacionalização” 
Prof. Doutor Norberto Cunha, Coordenador Científico do Museu Bernardino Machado

18h00 Debate 


DIA 21 (SÁBADO)

09h30 Gestão Integrada do Património Cultural no Concelho de Vila Nova de Famalicão – O caso prático da Freguesia de Gondifelos
Dr. Nelson Pereira, Técnico Superior da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão 
Dr. Paulo Correia, Mestrando em História e Património - Faculdade de Letras da Universidade do Porto

10h00 Exposições e Comunicação em Museus” 
Arq. Inês Moreira, Prof. Universidade do Porto

10h30  Conservação e Museus
Dr. Carlos Mota, Conservador do Museu do Douro

Intervalo

11h15 Museografia e Designer
Dr. Francisco Providência, Designer

11h45 Debate

Intervalo para almoço

14h30 Instituto dos Museus e da Conservação IMC
Dr. João Carlos Brigola,  Presidente do IMC
Drª Isabel Victor, Directora do Departamento dos Museus do IMC

15h15 Redes de Museus: Aspectos organizativos” 
Drª Clara Camacho, Doutoranda em Museologia

15h45 “A Rede de Museus do Algarve” 
Dr. Jorge Queirós, Director do Departamento de Cultura da Câmara Municipal de Tavira

Intervalo

16h30 Museus de Famalicão – Rede Museológica Municipal
Dr. Artur Sá da Costa, Coordenador do Projecto - Rede Museológica Municipal 

16h45 “Um guia para a rede museológica municipal – O caso de Peniche
Prof. Doutor João Serra, Professor Coordenador do Instituto Politécnico de Leiria e Administrador (com o pelouro da Programação) de Guimarães 2012, Capital Europeia da Cultura 

17h15 Debate

18h00 Sessão de encerramento
Dr. Paulo Cunha, Vereador da Cultura e Turismo

 

 

publicado por mhp às 11:14
link do post | comentar | favorito

Oficina de Metodologia e Ética na Conservação e Restauro – Inscrições Abertas

 

 

 

publicado por mhp às 11:13
link do post | comentar | favorito

BNP adquire conjunto de passionários quinhentistas

Foi recentemente adquirido pela Biblioteca Nacional de Portugal, no leilão do Palácio do Correio Velho que ocorreu entre 11 e 13 de Abril de 2011, um conjunto de 3 passionários quinhentistas, que pertenceram à biblioteca do grande coleccionador António Capucho.


Destinados ao ofício da Paixão, nomeadamente para o Domingo de Ramos (Dominica in Ramus Palmarum Passio Secundum Mattheum), Terça-feira (Feria Tertia Passio Passio Secundum Marcum) e Sexta-feira (Feria Sexta in Parasceve Secundum Joannem),  os 3 livros estiveram em uso num Convento de Nossa Senhora em Braga, provavelmente do Convento de Nossa Senhora do Pópulo (…)


O musicólogo Manuel Pedro Ferreira refere que, para além do elevado valor artístico, este conjunto é “proveniente de uma igreja da qual não possuíamos nenhum códice identificado havendo também potencial interesse musical, uma vez que os tons da Paixão têm uma tradição portuguesa particular, e não abundam os seus testemunhos, mesmo tardios”, enriquecendo assim a valiosa colecção de livros de coro da BNP.

 

Fonte: BNP

publicado por mhp às 11:11
link do post | comentar | favorito

Conferências “História e Memória no Arquivo Distrital de Braga”

Conferências “História e Memória no Arquivo Distrital de Braga” Salão Nobre da Universidade do Minho, Largo do Paço Braga, quarta-feira, 27-04-2011, 18h00

 

De periodicidade mensal, o ciclo de Conferências “História e Memória no Arquivo Distrital de Braga” destina-se a um público vasto, desde alunos, docentes e investigadores universitários, mas também à sociedade em geral, com interesse nestes temas e no conhecimento do passado de Braga e da região. Visa dar a conhecer os preciosos fundos do Arquivo e a investigação histórica que a partir deles tem sido desenvolvida. A iniciativa organizada pelo Arquivo Distrital de Braga e pelo Departamento de História da UMinho tem apoio do Conselho Cultural da UMinho e do CITCEM – Instituto de Ciências Sociais da UMinho.

publicado por mhp às 11:10
link do post | comentar | favorito

Exposição de Olaria – Séculos XIX e XX

O Museu da Cerâmica apresenta  Exposição de Olaria dos séculos XIX e XX. Trata-se de uma mostra que reúne um conjunto de mais de 60 peças de olaria da região das Caldas da Rainha e de outros centros oleiros do País, nomeadamente Mafra, Barcelos, Nisa, Estremoz e Molelos.
A exposição ficará patente ao público até 31 de Maio de 2011, no horário habitual do Museu da Cerâmica, nas Caldas da Rainha, das 10h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h00, de 3ª Feira a Domingo até 31 de Maio de 2011.
publicado por mhp às 11:09
link do post | comentar | favorito

II Conferência Nacional sobre Segurança do Património

A Agência INOVA|CultDigest, promove em Lisboa, no dia 5 de Maio, a conferência:

 

SEGURANÇA DO PATRIMÓNIO: A FALSIFICAÇÃO E TRÁFEGO ILÍCITO DE OBRAS DE ARTE

 

Museu da Marioneta | 5 de Maio | Lisboa

 

Para mais informações: http://www.cultdigest.pt

publicado por mhp às 11:07
link do post | comentar | favorito

Turismo: Alentejo considera “urgente” alteração da gestão do património cultural

O presidente da Entidade Regional Turismo do Alentejo considera “urgente” a alteração do modelo de gestão do património cultural na região, sugerindo, entre outras medidas, que a gestão seja entregue a agentes e estruturas privadas.
(…)
Esta é uma das conclusões que o presidente da Turismo do Alentejo retirou do Congresso Internacional “Alentejo: Património do Tempo”, que decorreu este fim-de-semana em Portalegre. Para desenvolver uma acção “concertada” em redor do património cultural, a Turismo do Alentejo quer reunir os agentes que detenham património, entre os quais as autarquias, Estado, dioceses, paróquias, entre outros, no sentido de criar uma “estrutura” onde sejam discutidos os aspectos da fruição do património.
“Tem que haver abertura para que a gestão do património possa ser entregue a privados” defendeu.
Ceia da Silva deu como exemplo “significativo” e “positivo” o trabalho desenvolvido pelas Pousadas de Portugal há várias décadas, na recuperação de um vasto conjunto de imóveis, defendendo ainda que a entrega desse património a privados poderá ser a “forma de ocupação” de muitos jovens.

 

Fonte: JN de 19.05.2011
publicado por mhp às 11:06
link do post | comentar | favorito

VI Seminário Internacional sobre Mosaicos Romanos

 

 

Entre os dias 4 e 5 de Maio, irá ter lugar, na Universidade Carlos III, em Madrid, o VI Seminário Internacional sobre Mosaicos Romanos.

 

Para mais informações: Programa VI SMR

 

 

publicado por mhp às 11:03
link do post | comentar | favorito

MC e Misericórdias incentivam preservação das igrejas

O Ministério da Cultura e a União das Misericórdias Portuguesas assumiram hoje o compromisso de, em conjunto, ajudarem à formação de mil voluntários para preservação das igrejas que integram as 400 Misericórdias do país. A iniciativa, acordada através de um protocolo celebrado hoje pelas duas entidades, é, para a ministra da Cultura, Gabriela Canavilhas, uma ação “muito importante”.
(…)
“O trabalho do Ministério da Cultura só é eficaz quando é feito com as instituições, e esta particularmente com as Misericórdias, é tão nobre, porque tem sabido preservar e partilhar este património com os cidadãos”, afirmou Gabriela Canavilhas.
A ministra sublinhou ainda que em 2010 foram contabilizados 152 voluntários distribuídos pelos equipamentos culturais a trabalhar a favor do património e considerou que a atual situação política impede a concretização de outros projetos culturais.
(…)
“Viver o Património das Misericórdias” é um projeto desenvolvido no âmbito do Ano Europeu do Voluntariado e que visa a mobilização de voluntários, num contributo à abertura ao público das Igrejas das Misericórdias, manutenção do património edificado e realização

 

Fonte: LUSA

 

publicado por mhp às 11:02
link do post | comentar | favorito

Texto mais antigo da Europa encontrado na Grécia

Foi encontrado numa antiga lixeira de Peloponeso, na Grécia, aquele que é considerado o texto decifrável mais antigo da Europa. Michael Cosmopoulos, investigador norte-americano, da Universidade de Missouri, garante que a placa de argila cozida, encontrada durante as escavações realizadas numa antiga lixeira situada na colina de Iklena, a 300 quilómetros de Atenas, na Grécia, tem mais de três mil anos, representando, pelo menos, mais um século do que as descobertas feitas até agora.
(…)
Ao que tudo indica, a placa terá sido um documento financeiro, proveniente de uma antiga cidade do período micénico. “Num dos lados da peça podem-se ver nomes e números, e do outro lado um verbo relativo à confecção”, acrescentou Michael Cosmopoulos.
As escavações, sob a supervisão da Escola de Arqueologia de Atenas, começaram em 2006 e desde então ja revelaram algumas descobertas, como uma enorme estrutura com grandes muralhas datada dos anos 1550-1440 a.C. Segundo Cosmopoulos, o local foi destruído provavelmente no ano 1400 a.C., antes de ter sido invadido pelo reino de Pilos, cujo rei, Nestor, é mencionado na Ilíada.

 

Fonte: JN de 08.05.2011

tags:
publicado por mhp às 10:48
link do post | comentar | favorito
Sábado, 9 de Abril de 2011

Breves Notícias

Conferência InterRegional debate preservação do artesanato e património cultural europeu

 

O Município de Alcobaça recebe, nos dias 6 e 7 de Abril, a 2.ª Conferência InterRegional do Projecto de Cooperação do Fundo de Desenvolvimento Europeu, apresentando o programa CeRamICa Plus, composto por um Ciclo de Conferências e pela Exposição “Cerâmica em Alcobaça: 1875 até ao Presente”, que estará patente ao público até 6 de Maio, na Galeria de Exposições temporárias do Mosteiro de Alcobaça. O grande objectivo desta conferência passa pela preservação do artesanato e do património cultural Europeu. O debate público foca-se em temáticas como as melhores práticas nos campos da cooperação, clustering, design, marketing e inovação, bem como da educação e da formação.

 

 

Monumentos do IGESPAR comemoram Dia Internacional dos Monumentos e Sítios

 

O IGESPAR promove um conjunto de actividades a decorrer nos seus monumentos, no âmbito das comemorações do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios.

Consulte o programa em :http://www.igespar.pt/pt/news/9/1976/

 

 

Ministério da Cultura nega redução de entradas gratuitas em museus e palácios ao domingo

 

A redução das entradas gratuitas nos museus e nos palácios a um domingo por mês não passa de uma proposta do Instituto dos Museus e da Conservação (IMC) que nunca foi discutida pela ministra da Cultura.

 

“O Ministério da Cultura refuta qualquer intenção de alterar a política de entradas livres aos visitantes dos museus portugueses”, garantiu hoje o ministério de Gabriela Canavilhas num comunicado enviado ao fim da tarde para a Lusa.


Canavilhas refutou, assim, as declarações feitas esta terça-feira pelo director do IMC, João Brigola, que dizia estar a ser discutida a possibilidade de alterar o actual esquema de gratuitidade nos 34 museus e palácios que tutela – actualmente a entrada aos domingos é livre – já a partir de Junho.


Foi num encontro no Palácio Nacional de Queluz, em que foram apresentadas as estatísticas de visitantes de museus e palácios, que Brigola defendeu a limitação das entradas grátis a um domingo por mês e a alteração do plano de descontos de que usufruem alguns profissionais.


“Na situação em que estamos, o país não se pode dar ao luxo de ter níveis tão elevados de gratuitidade”, disse Brigola na terça-feira, sublinhando que 61 por cento dos visitantes de museus e palácios não pagaram entrada em 2010.


Hoje, o director do IMC voltou a afirmar ao PÚBLICO por telefone a “necessidade absoluta” de aumentar as receitas e classificou o comunicado do Ministério da Cultura (MC) como um “esclarecimento”: “Não é, de todo, um desmentido. Eu nunca disse que a decisão estava tomada, disse apenas que a diminuição estava a ser debatida.”


No comunicado, no entanto, é dito que “o assunto nunca foi discutido” com Canavilhas. Brigola acrescenta: “O debate tem acontecido no âmbito da secretaria de Estado, a tutela directa do instituto de museus. A ministra da Cultura não participou dele.”

 

Fonte: Público, 06/04/2011

 

 

 

publicado por mhp às 09:00
link do post | comentar | favorito

AECT Duero-Douro com programa inovador para a prevenção e conservação do património natural

O Agrupamento Europeu de Cooperação Territorial (AECT) Duero-Douro apresentou um programa inovador de prevenção e conservação do património natural, através da aplicação de acções pioneiras que visam a redução dos impactos negativos sobre o meio ambiente. O projecto «Fronteira Natural» está avaliado em 800 mil Euros e garantiu o apoio do Programa de Cooperação Transfronteiriça Espanha – Portugal 2007/2013 no valor de 600 mil Euros.


Das acções previstas para os próximos dois anos destaca-se a criação da Escola de Capacitação Ambiental Transfronteiriça, com sedes em Espanha e Portugal e gestão partilhada pela Universidade de Salamanca e pelo Instituto Politécnico de Bragança. Os alunos desta escola, cujo primeiro curso arranca no próximo mês de Julho, terão acesso a dois viveiros para a produção de plantas florestais e ornamentais autóctones, que serão usadas para o reflorestamento de áreas verdes urbanas. Com a formação dos primeiros profissionais, o programa «Fronteira Natural» prevê a constituição da empresa GESTIMA Duero-Douro, uma empresa pública sem fins lucrativos, vocacionada para a restauração ambiental.


Fazem, ainda, parte deste projecto acções como a elaboração de um plano de responsabilidade ambiental para vincular o sector privado, a definição de um sistema de intervenção prioritária e o lançamento de um concurso vocacionado para comunidades rurais.

 

Com este projecto, o AECT Duero-Douro estima a eliminação de 100 pontos críticos e a implementação de uma gestão ambiental duradoura, abrangendo áreas protegidas como o Parque Natural de Montesinho, o Parque Natural do Douro Internacional e a Serra da Reserva Natural da Malcata.

 

Fonte: Norte em Rede

 
publicado por mhp às 08:58
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 7 de Abril de 2011

Google Street View permite ver monumentos históricos em detalhe

A "Google Street View" anunciou, esta quarta-feira, o lançamento de uma iniciativa que mostra em detalhe vários monumentos históricos.

 

Numa primeira fase, o novo recurso da "Google Maps" apenas permite ao utilizador visitar monumentos de Itália e da França e conhecer de perto locais emblemáticos como o Coliseu de Roma ou dar um passeio virtual pelos jardins do Palácio de Fontainebleu.

 

Recentemente, a aplicação "Google Street View" lançou uma actualização do sistema que permitiu aos seus utilizadores desfrutar de novas paisagens naturais obtidas através de veículos alternativos, como bicicletas ou trenós. Depois desta novidade, a Google pretende, agora, divulgar o património histórico mundial.

 

O projecto começou apenas com alguns lugares destacados de Itália e da França mas no futuro pretende incluir outros locais, tendo sempre como referência os espaços nomeados como património da UNESCO.

 

Roma é uma das cidades com maior destaque na nova aplicação lançada pela Google. Se anteriormente o serviço apenas permitia a observação do exterior do Coliseu romano, o "Street View" oferece agora a possibilidade de conhecer o próprio monumento e de ver as diferentes perspectivas do seu interior.

 

Em Florença, outra cidade italiana contemplada, é possível ver em detalhe a fachada da Catedral de Santa Maria das Flores.

 

Já em França, a nova aplicação permite fazer uma visita virtual aos jardins do Palácio de Fontainebleau, conhecer as suas estátuas e fontes bem como observar de perto o tipo de construção do edifício.

 

A nova característica do "Google Street View" amplia os horizontes do serviço, que pode ser utilizado para fins educativos e para investigação do património artístico e histórico.

 

Fonte: Jornal de Noticias de 30.03.2011

publicado por mhp às 19:22
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 6 de Abril de 2011

IMC quer reduzir entradas gratuitas nos museus e palácios a um domingo por mês

O número de entradas gratuitas nos museus e palácios nacionais - 61 por cento - é "claramente exagerado" e o Instituto dos Museus e da Conservação (IMC) está a preparar medidas para o reduzir, se possível já a partir do Verão, disse ontem ao PÚBLICO João Brigola, director do IMC. 

A ideia, explicou Brigola, será reduzir as entradas gratuitas a um domingo por mês e não todos os domingos, como acontece actualmente. A aplicar-se esta medida (e com uma "pequena actualização" dos preços, que também está a ser estudada), e se o número de visitantes se mantiver, o IMC conseguiria aumentar a sua receita em cerca de 800 mil euros anuais. "Na situação em que estamos, o país não se pode dar ao luxo de ter níveis tão elevados de gratuitidade", diz o director do IMC. 

Em 2010 já tinha havido uma ligeira redução das entradas gratuitas, com algumas categorias de visitantes a perderem esse direito - os professores, por exemplo, e os jovens com mais de 15 anos, que deixaram de beneficiar do desconto de 50 por cento. 

Menos visitantes

Essa poderá, aliás, ser uma explicação para a queda - ainda que ligeira - do número de visitantes dos museus e palácios geridos pelo IMC. Estes perderam, entre 2009 e 2010, 13.620 visitantes (0,5 por cento do total), segundo dados apresentados ontem, no Palácio de Queluz, por Nuno Fradique Gonçalves, da Divisão de Documentação e Divulgação do IMC. 

Brigola não receia que a diminuição das entradas gratuitas que está a ser pensada - "ainda não está decidida", sublinhou - afecte de forma dramática o número de visitantes, sublinhando que a queda de 2009 para 2010 foi muito ligeira e que mesmo que se verifique nova diminuição, "o que daí resulta [em termos de receita] é sempre um ganho". 

Dos 61 por cento de visitantes que entram gratuitamente, 24 por cento entram no regime de entrada livre, 16 por cento aproveitam a gratuitidade aos domingos e feriados, outros 16 por cento estão integrados em visitas escolares, e três por cento são jovens com menos de 14 anos. Dos restantes 39 por cento, que pagam, há ainda um grupo de 12 por cento que, por diversas razões, beneficia de descontos. 

Outra conclusão apresentada por Nuno Fradique é a de que são sobretudo os portugueses os que mais aproveitam a possibilidade de visitar museus e palácios gratuitamente, e são maioritariamente os estrangeiros a pagar bilhete.

 

Fonte: Jornal "o Publico" de 06.04.2011

publicado por mhp às 19:02
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 30 de Março de 2011

Cidades europeias "de cultura e património" reúnem em Tavira

 

 

A Alliance des Villes Europeénes de Culture (AVEC), associação constituída por várias cidades “de cultura e património”, realiza, dias 1 e 2 de abril, a sua assembleia geral, na Pousada do Convento de Nossa Senhora da Graça, em Tavira.

A associação organiza, igualmente, a 31 de março e 1 de abril, no período da manhã, um ateliê dedicado a questões de financiamentos e programas europeus.

Em 1997, as cidades Pecs (Hungria), Tours (França), Olomuc (República Checa), Toledo (Espanha) e Cosenza (Itália) fundaram esta associação. A estas juntaram-se dezenas de outras cidades, algumas classificadas como património mundial pela UNESCO. Actualmente, esta rede europeia é constituída por 36 cidades de cultura e património. Fazem parte da AVEC cinco cidades e vilas portuguesas, como é o caso de Évora, que preside à associação, Santarém, Tavira, Mértola e Idanha-a-Nova.
 
Para mais informações:  http://www.avecnet.net/

 

 

publicado por mhp às 19:06
link do post | comentar | favorito
Sábado, 26 de Março de 2011

Instituto Andaluz do Património Histórico disponibiliza online recomendações técnicas para a documentação gráfica do Património Cultural

O Instituto Andaluz do Património Histório disponibiliza online um conjunto de recomendações técnicas para a documentação gráfica do Património Cultural.

 

Para mais informações:
www.juntadeandalucia.es/cultura/iaph/nav/navegacion.jsp?seccion=SERVICIOS&entrada=/portal/Servicios/BibliotecaFototeca/Fototeca/Documentacion/

publicado por mhp às 11:29
link do post | comentar | favorito

Inventário do Património: Lançamento de Novas Publicações do Instituto dos Museus e da Conservação (IMC)

 

 

Dando continuidade à publicação sistemática de cadernos de Normas de Inventário, iniciada em 1999, o IMC acaba de lançar três novos títulos desta coleção: Ciência e Técnica (Normas Gerais)Ourivesaria e Instrumentos Musicais.


O volume dedicado à Ciência e Técnica resulta de uma parceria estabelecida entre o IMC e o Instituto de Investigação Científica Tropical, assumindo-se como o primeiro normativo e difusor de boas práticas na área do inventário e da documentação de coleções museológicas externas à realidade dos museus e palácios nacionais do Ministério da Cultura. Esta abertura a diferentes áreas disciplinares tem igualmente correspondência na recente versão 3.0 doPrograma MATRIZ, ampliado para as coleções científico-tecnológicas e de História Natural.


Ourivesaria e Instrumentos Musicais são mais dois títulos específicos para inventariação de coleções artísticas, o primeiro elaborado conjuntamente pelo Palácio Nacional da Ajuda-Museu e pelo Museu Nacional de Machado de Castro, com a colaboração do gemólogo Rui Galopim de Carvalho, e o segundo da responsabilidade do Museu da Música.


Estas publicações poderão ser encontradas à venda nas lojas dos museus e palácios nacionais, bem como na Loja dos Museus, sita na Praça dos Restauradores, em Lisboa.

 

 

publicado por mhp às 10:35
link do post | comentar | favorito

Seminário MSML, Percurso de um Fundo Monástico – Do Mosteiro de Lorvão ao Ciberespaço

 

 

Seminário MSML, Percurso de um Fundo Monástico – Do Mosteiro de Lorvão ao Ciberespaço, uma organização do IEM/GI Imagem e Texto Medievais que terá lugar no próximo dia 31 de Março de 2011, no  Arquivo da Universidade de Coimbra e no Mosteiro de Lorvão. 


Entrada: Livre – Inscrição obrigatória (Transporte Coimbra-Lorvão/Lorvão Coimbra incluído)


Nota: Para participar, é necessário o preenchimento do formulário de inscrição (disponível em baixo), e o seu envio, até ao dia 25 de Março, para o seguinte endereço de e-mail: med@fcsh.unl.pt.


Informaçõeshttp://iem.fcsh.unl.pt/organizar/seminarios/lorvao e inscrições:http://seminariomsml2011.wufoo.com/forms/seminario/

 

 

 

publicado por mhp às 10:33
link do post | comentar | favorito

Aquisição pelo Estado de parte dos bens imobiliários do Mosteiro de Rendufe em mãos privadas, Amares

 

 

Num processo já longo demais, com graves, senão irremediáveis, consequências para a preservação do património histórico do País, a recuperação do Mosteiro de Rendufe, localizado em Rendufe, Amares, tinha como uma das suas vertentes a aquisição pelo Estado de parte dos bens imobiliários do Mosteiro de Rendufe, que eram propriedade privada.


A questão esteve definida anos atrás, com um acordo celebrado entre o proprietário e o Estado, acordo que o Estado não cumpriu, o que conduziu o problema a instâncias judiciais.


Ao abrigo das disposições constitucionais e regimentais aplicáveis, solicito ao Governo que, por intermédio da Ministro das Finanças me sejam prestados os seguintes esclarecimentos:


1. Qual o ponto da situação sobre a aquisição pelo Estado dos referidos bens imobiliários?
2. Está em consideração pelo Ministério da Cultura o reinício do Projecto de recuperação do Mosteiro em 2012? (Recordo que o Mosteiro teve um Projecto de Recuperação aprovado, com a participação de fundos comunitários, e que por motivos ainda hoje desconhecidos, não foi concretizado). Vai o Projecto ser inscrito no Plano de Investimentos do Ministério da Cultura do próximo Orçamento do Estado?

 

Fonte: PCP, 22/03/2011

 

 

 

publicado por mhp às 10:28
link do post | comentar | favorito

Premios SOS Azulejo 2010 – abertura de candidaturas

As Entidades Parceiras do Projecto ‘SOS Azulejo’ instituíram Prémios de Protecção e Valorização do Património Azulejar português (e/ou de origem/tradição portuguesa) designados ‘Prémios ‘SOS Azulejo’’, cuja atribuição é anual e se rege pelo REGULAMENTO que pode consultar AQUI.

 

Os Prémios SOS Azulejo têm por objectivos:

 

- Reconhecer, valorizar, dar visibilidade e fomentar acções de protecção e valorização do património azulejar português e/ou de origem/tradição portuguesa;
- Contribuir directa e indirectamente para a segurança, a conservação e o restauro certificados, o estudo, o usufruto e a divulgação adequados do património azulejar português e/ou de origem/tradição portuguesa;
- Reforçar e incentivar a ligação e o orgulho das populações e das instituições em território português pelo seu património azulejar e/ou, noutros países, pelo seu património azulejar de origem/tradição portuguesa;

- Encorajar e apoiar projectos, estudos e acções de qualidade que aproveitem, valorizem e dinamizem o potencial do património azulejar português.

 

Os Prémios ‘SOS Azulejo’ 2010 dirigem-se a um largo espectro de sectores de actividades e destinam-se a galardoar os melhores trabalhos, projectos, estudos, contributos, obras e acções de protecção e valorização do património azulejar português e/ou de origem/tradição portuguesa, a título individual, institucional ou colectivo desenvolvidos até 2010 (inclusive).

 

Envio de Candidaturas até 30 de Abril de 2011 (marca de correio), seguindo as normas do REGULAMENTO respectivo. Os prémios são simbólicos, traduzindo-se na entrega de Diplomas.

publicado por mhp às 10:26
link do post | comentar | favorito

DGARTES disponibiliza um milhão de euros para apoios de projectos pontuais

Abriram no passado dia 15 de Março, os procedimentos para a atribuição de apoios pontuais, no ano de 2011. O período de candidaturas decorrerá até 31 de Março de 2011. O montante financeiro disponível a conceder é de 1 000 000 euros, mais 200 000 Euros que em 2010, para um número máximo de 70 candidaturas a apoiar. As áreas artísticas abrangidas são, designadamente, arquitectura, artes digitais, artes plásticas, cruzamentos disciplinares, dança, design, fotografia, música e teatro nos domínios da criação artística, programação, interpretação, experimentação, formação, residências, circulação nacional e internacional de artistas e produções artísticas, formação e desenvolvimento de públicos, registo, documentação, edição e divulgação.

 

Podem candidatar-se as entidades de criação, as entidades de programação, as entidades mistas sedeadas no território de Portugal continental, nos termos do artigo 11.º do Regime de Atribuição de Apoios Financeiros do Estado (RAAFE), e os grupos informais e pessoas singulares, portugueses ou estrangeiros, com residência fiscal em Portugal continental, e que aqui exerçam maioritariamente a sua actividade.

publicado por mhp às 10:24
link do post | comentar | favorito
Sábado, 19 de Março de 2011

Rota Europeia dos Cemitérios criada pelo Conselho da Europa

A Rota dos Cemitérios constitui uma iniciativa do Conselho Europeu – Programa de Circuitos Culturais, e engloba 54 cemitérios, espalhados por 18 países, incluindo Portugal, na cidade do Porto.


Esta iniciativa foi promovida por Maria Luisa de Yzaguirre, presidente da Associação de Cemitérios Significativos da Europa (ASCE).


Alguns dos cemitérios europeus são pólos turísticos muito atractivos, inclusive pelos famosos que lá estão sepultados. Por exemplo, em Paris, no Cemitério Père Lachaise, estão sepultados Edith Piaph, Oscar Wilde e Marcel Proust.

 

Para mais informações:
http://www.culture-routes.lu/php/fo_index.php?lng=en&dest=bd_pa_det&rub=89

publicado por mhp às 01:12
link do post | comentar | favorito

Moçambique vai acolher um Centro de Gestão do Património Cultural dos PALOP

Moçambique vai acolher, com o apoio da UNESCO, a sede do Centro de Gestão do Património Cultural dos Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa (CGPCP), um centro destinado à formação de quadros na área de promoção e gestão do património mundial. A troca de informação e de experiências na área da investigação e conservação, assim como a transferência de conhecimentos na área das tecnologias para estes campos de intervenção patrimonial, são outros dos propósitos deste centro.


Este centro pretende ser uma referência na preservação, gestão e promoção do património cultural, de modo que Moçambique, Angola, Cabo-Verde, Guiné-Bissau e São Tomé e Príncipe possam concorrer, em termos de assinatura de bens na Lista do Património Mundial, com os países africanos de expressão inglesa e francesa.


Esta instituição irá funcionar no Instituto Nacional do Património Cultural sobe a alçada do Ministério da Cultura.


Fonte: Notícias Sapo MZ

publicado por mhp às 01:10
link do post | comentar | favorito

Curso «A Arte Barroca – o ser e o parecer ou essência e ilusão»

 

 

Museu de Arte Sacra e Etnologia, dos Missionários da Consolata, em Fátima, irá realizar um Curso-Livre com o título «A Arte Barroca – o ser e o parecer ou essência e ilusão».


O curso está organizado em cinco sessões, que decorrerão nas instalações do MASE todas as terças-feiras de 26 de Abril a 24 de Maio, entre as 18h30 e as 20h00.


Sónia Vazão, licenciada em História – variante História da Arte, irá ser a formadora deste curso que se encontra aberto a todos os que se interessam por este tema, independentemente da sua formação profissional.

 

A data limite para a inscrição é 19 de Abril, existindo número limitado a 30 vagas.

 

Inscrição: €30,00
Inscrições online através do blogue do museu: http://masefatima.blogspot.com/
Informações: Tel. 249 539 470 ou e-mail museuartesacra@consolata.pt

 

 

publicado por mhp às 01:07
link do post | comentar | favorito

Nova Rota das Igrejas de Évora: visita guiada

 

 

A Diocese de Évora promove, no próximo dia 2 de Abril, mais uma edição da Rota das Igrejas d’Évora. Organização conjunta do Gabinete de Arquitectura e Património da Arquidiocese de Évora, da Comissão Diocesana dos Bens Culturais e da Câmara Municipal de Évora, integra visitas às igrejas de S. Brás e S. Sebastião.

 

 

publicado por mhp às 01:05
link do post | comentar | favorito

Sessão pública de apresentação do Arquivo Pessoal do Cardeal Cerejeira

 

 

No próximo dia 1 de Abril de 2011, no Salão Nobre do Mosteiro de São Vicente de Fora, em Lisboa, terá lugar a sessão pública de apresentação dos resultados do projecto de intervenção arquivística no espólio documental de Dom Manuel Gonçalves Cerejeira (1888-1977), Cardeal Patriarca de Lisboa. Entre outras intervenções, conta com uma mesa redonda onde serão abordados diferentes aspectos do pontificado deste prelado da igreja lisbonense.

 

 

publicado por mhp às 01:03
link do post | comentar | favorito

Nove museus passam para as direcções regionais do Ministério da Cultura

As alterações no Ministério da Cultura, com um terço dos museus a passarem do Instituto dos Museus e da Conservação (IMC) para as direcções regionais de Cultura, estão a causar grande desconforto entre os profissionais do sector.


Os arqueólogos, que deverão ter as suas extensões do Instituto de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico (Igespar) sob a alçada das mesmas entidades, também não estão satisfeitos. Em causa está, sobretudo, a forma como o processo foi conduzido pelo Ministério da Cultura (MC), que acusam de não promover o debate.


O IMC – hoje com 29 museus e cinco palácios nacionais – vai afectar nove dos seus museus às direcções regionais: o Museu da Cerâmica (Caldas da Rainha), o de Arte Popular (Lisboa) e o Dr. Joaquim Manso (Nazaré) passarão a responder à Direcção Regional de Cultura de Lisboa e Vale do Tejo; o Museu da Guarda e o Francisco Tavares Proença Júnior (Castelo Branco) reportarão à do Centro; o Museu da Terra de Miranda (Miranda do Douro), o Abade de Baçal (Bragança) e o dos Biscainhos (Braga) à do Norte; e o Museu da Música, que actualmente é em Lisboa mas deverá ser instalado no Convento de São Bento de Cástris, em Évora, ficará ligado à do Alentejo. A Casa-Museu Anastácio Gonçalves será transformada num pólo do Museu do Chiado e o Museu de Etnologia do Porto, fechado desde 1992, deverá ser extinto.


“A tutela destes museus continua a ser o Ministério da Cultura”, explicou ontem ao PÚBLICO o director do IMC, João Brigola, acrescentando que a nova orgânica não se traduz num ganho económico – “o ministério não vai poupar dinheiro” – mas organizativo. “Permite que nos concentremos nos museus mais significativos”, disse.


As propostas das novas orgânicas do MC já foram entregues à Secretaria de Estado da Administração Pública. Agora é só esperar pelo fim do mês, segundo Brigola, que responde assim às críticas de falta de debate de vários profissionais de museus que preferiram o anonimato: “É falso que não tenha havido debate. Falei com todos os directores envolvidos. Esta reorganização está a ser debatida há anos, não nasceu com a minha direcção. Só que eu decidi fazer dela um eixo estratégico”.


Raquel Henriques da Silva, ex-directora dos Museus e representante das universidades na secção de museus do Conselho Nacional de Cultura, escreveu esta semana a Brigola pedindo uma reunião para debater estas mudanças. Contactada pelo PÚBLICO, Henriques da Silva não quis fazer mais comentários até receber uma resposta do IMC. Brigola, que chegou ao instituto em Novembro de 2009, diz que não reuniu o conselho porque estas transições não são da sua competência: “Só somos obrigados a pedir um parecer quando se trata de museus nacionais”.


Também numa carta enviada à ministra da Cultura, a Associação dos Arqueólogos Portugueses diz que a entrega da actividade arqueológica às direcções regionais demonstra que o MC está disposto a abdicar da sua “responsabilidade na definição de uma política coerente de gestão do património arqueológico”.

 

Caso seja aprovada, a nova orgânica dos Museus entrará em vigor a 1 de Janeiro do próximo ano.

 

Fonte: Público, 17/03/2010

publicado por mhp às 01:00
link do post | comentar | favorito

Ministério da Cultura põe em tribunal ex-directores regionais da extinta Comissão de levantamento do Património Imaterial

O Ministério da Cultura anunciou esta tarde que vai pedir ao Ministério Público para avançar com um processo judicial, no tribunal administrativo, contra três dos seus ex-directores regionais, que receberam cerca de 125.000 euros por conta de um trabalho que nunca foi feito.


Luis Marques, Helena Gil e José Nascimento, respectivamente ex-directores regionais de Cultura de Lisboa, do Norte e do Alentejo, foram nomeados em Janeiro de 2010, após serem substituídos no seus cargos pelo actual secretário de Estado da Cultura, Elísio Summavielle, para integrar um grupo de trabalho destinado a fazer o levantamento do património imaterial português.


Conforme o PÚBLICO revelou no passado dia seis, aquela tarefa não foi realizada, mas os três ex-directores receberam uma remuneração mensal de 2613 euros, equivalente à de chefe de divisão, durante 16 meses (incluindo férias e subsídio de Natal), até serem exonerados com efeitos a partir do dia 1 deste mês. Em declarações ao PÚBLICO, Luis Marques responsabilizou pessoalmente o secretário de Estado pelo falhanço do projecto, afirmando que ele lesou “o interesse público” e acusando-o de “inércia” e “desleixo” face às suas chamadas de atenção sobre a falta de meios com que o grupo se defrontaria.


A nota de imprensa do ministério diz também que foi já instaurado um processo de inquérito, a cargo da Inspecção-Geral das Actividades Culturais, “a fim de serem apuradas responsabilidades disciplinares decorrentes da falta de cumprimento dos objectivos fixados” ao grupo de trabalho.


O secretário de Estado Elísio Summavielle, decidiu também, segundo a mesma nota, “apresentar participação criminal” contra Luis Marques “pela indiciação do crime de difamação agravada.

 

Fonte: Público, 16/03/2011

 
publicado por mhp às 00:57
link do post | comentar | favorito

XIV Seminário Internacional de Arte Pré-Histórica

Nos dias 12 e 13 de Abril, irá ter lugar o  XIV Seminário Internacional de Arte Pré-Histórica, com o tema “Paisagem na Arte Rupestre”, no Museu de Arte Pré-Histórica de Mação.

 

Contacto: Museu de Arte Pré-Histórica de Mação. Tel.: 241 571 477

publicado por mhp às 00:56
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 14 de Março de 2011

Criação do Côa Parque - Fundação para a Salvaguarda e Valorização do Vale do Côa

Foi publicado, em Diário da República (Decreto-Lei nº 35/2011 de 8 de Março), o diploma que institui o Côa Parque – Fundação para a Salvaguarda e Valorização do Vale do Côa.

 

Vale do Côa

Vale do Côa

 

Integrando, como membros fundadores, o IGESPAR, IP, a Entidade Regional de Turismo do Douro, a Administração da Região Hidrográfica do Norte, IP, o município do Vale do Côa e a Associação de Municípios do Vale do Côa, esta fundação pública com regime de direito privado tem como fim a salvaguarda, conservação, investigação, divulgação e valorização da arte rupestre e demais património arqueológico, paisagístico e cultural do vale do rio Côa, o maior conjunto de arte paleolítica ao ar livre conhecido no mundo. Classificado, em 1997, como Monumento Nacional, foi, em 1998, inscrito na lista do Património Mundial da UNESCO.

publicado por mhp às 18:15
link do post | comentar | favorito
Domingo, 13 de Março de 2011

Ordem dos Arquitectos vai mostrar como se restaura e reabilita uma casa centenária

A Secção Regional do Norte da Ordem dos Arquitectos (SRN/OA) quer fazer da sua nova sede no Porto um paradigma do que deve ser o trabalho de recuperação de casas antigas. As novas instalações da Ordem vão ficar na Rua de Álvares Cabral (n.ºs 136/150) e, para o efeito, vão ser restauradas e reabilitadas duas vivendas centenárias adquiridas em 2002. Do concurso realizado, dois anos depois, para o desenho da obra - que contou com meia centena de concorrentes -, saiu vencedor o projecto do atelier NPS (Rui Neto, Odete Pereira e Sérgio Silva).
 
As duas vivendas centenárias foram adquiridas em 2002

 

      As duas vivendas centenárias foram adquiridas em 2002 (Foto: Fernando Veludo)

"O objectivo da Ordem era fazer tanto da aquisição como do próprio projecto uma operação didáctica; queríamos instalarmo-nos no centro histórico do Porto mas também mostrar como se faz a recuperação dum prédio antigo", disse ao PÚBLICO José Fernando Gonçalves, actual presidente da SRN/OA, numa visita guiada ao edifício em Álvares Cabral, que se encontra bastante degradado.

O programa da futura sede - cujo custo ronda os 1,5 milhões de euros, e que deverá ficar concluída em 2014 - é acomodar os serviços administrativos da Ordem, um pequeno auditório, uma sala polivalente, uma galeria de exposições, uma loja e ainda divisões que poderão ser rentabilizadas em eventos públicos. Tudo isto distribuído pelas duas vivendas antigas, depois de recuperadas, e por um terceiro módulo, que será construído de raiz no logradouro da propriedade.

As casas adquiridas pela SRN/OA - por 574 mil euros - foram as habitações de duas filhas do industrial portuense António José Gomes Samagaio, gerente da Fiação do Jacinto. Começaram a ser construídas em 1899, pelo mestre-de-obras Manoel Alves Ferreira, tendo sido das primeiras a nascer na nova rua que acabava de ser aberta (ver caixa). Inicialmente tinham apenas um piso, mas em sucessivas intervenções realizadas até 1925 foram crescendo até adquirirem a volumetria e o desenho que apresentam hoje: uma configuração praticamente simétrica, com três pisos e três frentes, fachadas com azulejos azuis (a cor dominante na rua) de revestimento e decorativos, varandas e varandins, janelas e vitrais, tudo com uma qualidade de arquitectura que viria a marcar toda a rua.

"Foi um exercício curioso resolver o interior deste quarteirão formado por dois lotes estreitos e compridos", diz Rui Neto, realçando o facto de as duas vivendas apresentarem diferentes graus de degradação. "Uma das filhas do industrial era mais cuidadosa do que a outra", comentou o arquitecto, referindo-se ao facto de uma das casas estar em melhor estado. Isso vai permitir o seu restauro com o aproveitamento da traça original, com as madeiras, os estuques, as colunas decorativas... Já a segunda casa, bastante estragada, exigirá uma intervenção diferente, mais de reabilitação do que de restauro - daí "o carácter exemplar" que José Fernando Gonçalves reivindica para este projecto.

O terceiro módulo da intervenção implica destruir as cozinhas instaladas no logradouro e a garagem e construir um edifício em "U" ligado aos dois já existentes, onde ficarão alguns espaços de utilização pública.

Foi a este múltiplo desafio que respondeu o projecto do atelier NPS. "A nossa estratégia era que o edifício continuasse a contar a sua história: apostámos em três modos diferentes de intervenção, assumindo as suas diferenças, mas sem quebrar a homogeneidade e evitando transições abruptas", diz Rui Neto. Com os seus colegas - todos formados pela Universidade Lusíada no Porto, e com especialização em Recuperação -, foi depois chamado a adequar o projecto pensado em 2004 à nova legislação relativa a questões como a sustentabilidade energética. "O licenciamento do projecto é anterior à nova legislação, mas a Ordem - e bem - achou que deveria dar o exemplo no melhor aproveitamento das novas tecnologias nessa área", nota o arquitecto.

 

Fonte: Jornal "O Público", de 13.03.2011

publicado por mhp às 10:53
link do post | comentar | favorito
Sábado, 12 de Março de 2011

Revista América Património

A Red América Património Cultural y Natural promove a Revista América Património Cultural, cujo primeiro número está em fase de preparação.


O primeiro número será dedicado ao tema “Património, Participação e Cidadania”.

 

Os artigos deverão ser submetidos até ao próximo dia 1 de Maio.

 

Para mais informações:
comiteeditorial@americapatrimoniocultural.org
edicion@americapatrimoniocultural.org
http://www.americapatrimoniocultural.org/presentacion.html

tags:
publicado por mhp às 22:24
link do post | comentar | favorito

Lisboa quer classificar imóveis do século XX

«Um antigo armazém de vinhos, o edifício do Atlético Clube de Portugal, a Casa dos Açores e dois prédios de habitação perfazem a nova lista de imóveis que a Câmara de Lisboa quer classificar como “de interesse municipal”. Segundo as propostas da vereadora da Cultura agendadas para a reunião do executivo, que hoje se realiza, importa “dar maior atenção ao património arquitectónico do século XX”, de que os cinco imóveis são exemplo, como recomendado pelo Conselho da Europa.


É também referido que, neste tipo de classificação de âmbito municipal, foi dada prevalência ao período entre o início do século XX até ao Estado Novo por a maioria das construções da época estarem “em áreas de maior apetência para a intervenção imobiliária” e “onde se verifica uma maior destruição”. É o caso do edifício habitacional com os números 27 a 27E da Avenida Defensores de Chaves (São Jorge de Arroios), projectado em 1937 pelo arquitecto Cassiano Branco.


Projectado em 1914 por Miguel Nogueira Júnior, o prédio da esquina da Avenida Luís Bívar (2 a 6) com a Rua Tomás Ribeiro (58 e 60), em São Sebastião da Pedreira, é o outro edifício de habitação colectiva da lista, pela sua “elaborada expressão formal” e “qualidade de integração urbana”, segundo refere a Lusa.


Outrora uma grande residência unifamiliar, a Casa dos Açores, desenhada por Miguel Nogueira na freguesia da Lapa, foi edificada em 1922 e reflete um período de um grande eclectismo, com apontamentos da “casa portuguesa” à tradição beaux arts. Também em processo de classificação estão o edifício Abel Pereira da Fonseca, antigo armazém de vinhos construído entre 1916 e 1917 em Marvila, com desenho de Manuel Norte Júnior e ainda hoje uma “referência do património industrial da cidade”, e o edifício do Atlético Clube, nos Prazeres, concebido para a Casa do Povo d”Alcântara e construído entre 1904 e 1907.


Na reunião será também votada a transferência de cerca de 860 mil euros para os Serviços Sociais da câmara, a primeira atribuição de verbas depois de o Tribunal de Contas ter indicado no final de 2009 a suspensão de transferências das autarquias para este tipo de serviços.»

 

Fonte: Público, 9/03/2011

publicado por mhp às 15:06
link do post | comentar | favorito

II Encontro CITCEM "O Mar - Patrimónios, Usos e Representações"

II Encontro CITCEM 
O MAR - patrimónios, usos e representações 
20 - 22 de Outubro 2011
 

O CITCEM - Centro de Investigação Transdisciplinar «Cultura, Espaço e Memória» (FLUP/UM) organiza um encontro pluridisciplinar intitulado «O Mar - patrimónios, usos e representações» que decorrerá nos dias 20, 21 e 22 de Outubro de 2011 na Faculdade de Letras da Universidade do Porto. 

Call for papers/envio de propostas até 30 de Abril 2011 / e-mail: citcem@letras.up.pt 

Para mais informações, pf. consultar documento em anexo. 

II CITCEM Conference 
Heritage, Uses and Representations of the Sea 
20 - 22 de October 2011
 

The Transdisciplinary Research Centre «Culture, Space and Memory» (Faculty of Arts and Humanities of the University of Porto / University of Minho) will be organizing an interdisciplinary meeting on «Heritage, uses and representations of the Sea», to be held on the 20th, 21st and 22nd October 2011 at the Faculty of Arts and Humanities of the University of Porto. 

Call for papers/ send proposals by April 30, 2011 / e-mail: citcem@letras.up.pt 

For further information please see the attached document.

publicado por mhp às 14:41
link do post | comentar | favorito

Congresso internacional "Casa Nobre: Um Património para o Futuro"

                                                                                               

 

A terceira edição do Congresso Internacional "Casa Nobre: Um Património para o Futuro" ocorrerá nos dias 2, 3 e 4 de Dezembro de 2011.

 

Relembro que a data limite para apresentação de papers é o dia 14 de Abril.

 

Para mais informações consultar o seguinte site: http://sites.google.com/site/casanobrecongresso/

publicado por mhp às 00:03
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 11 de Março de 2011

Congresso internacional "Rota das Catedrais"

                                                                                                  

 

Nos dias 7, 8 e 9 de Abril irá decorrer no Museu municipal de Faro o congresso internacional "Rota das Catedrais".

 

Podem consultar toda a informação respeitante a este congresso no seguinte site: http://www.congressocatedrais.com/page1.php

 

Deixo em seguida uma pequena apresentação da "Rota das Catedrais":

 

"Múltiplas vezes, a historiografia tem registado que as catedrais, sobretudo as que se desenvolvem no período medieval, abriam os seus pórticos para ensinar, para divulgar a ciência dos doutores que se produzia dentro dos seus muros. Tal visão assenta quer no entendimento etimológico dos vocábulos “catedral” ou “sé” (lugar da cátedra ou sede), quer na praxis do magistério confiado aos bispos, ao longo dos tempos.
Não foi necessário decorrerem muitos séculos para que essas mesmas catedrais se tornassem, elas mesmas, no objecto estudado, não só pela própria arte, que nelas viu motivo de revivalismo, como também por outras disciplinas do saber, preocupadas com os que construíram as sedes episcopais, com as motivações dos que nelas viveram e como nelas se desenhou e continua a desenhar o quotidiano ou o romper do ritmo normal dos dias, quando estes edifícios se vestem de festa.
Ao tomar as catedrais como objecto de estudo, importa ler as fontes, perceber a lógica territorial que subjaz a estes imóveis, as configurações artísticas de que se revestem estes edifícios que, mais do que integrarem a paisagem construída das cidades, são peças umbilicalmente ligadas à paisagem urbana, porquanto esta os considerou como primordial elemento de organização. Ao tomar as catedrais como objecto de estudo, importa também assumir a consciência da importância da gestão e da conservação do património catedralício, material e imaterial, da animação cultural destes edifícios e da programação a propor à comunidade, a fim de que se possam projectar as suas potencialidades e os seus desafios no contexto de uma urbanidade contemporânea.
Na esteira do que é o entendimento do Ministério da Cultura e da Conferência Episcopal Portuguesa, que lêem as catedrais como «tecido nevrálgico de memória e de identidade» (Acordo de Cooperação Rota das Catedrais), o projecto Rota das Catedrais olha para estas edificações como um «todo coerente e identitário» que urge ser vivido a partir de uma consciência potenciada pelo estudo histórico e pela contemplação estética que fará acontecer o encontro entre os objectivos religiosos, culturais e turísticos e que fará intervir nos espaços através da reabilitação patrimonial em ordem a «devolver os monumentos à comunidade», a «envolver a comunidade na protecção e valorização dos monumentos» e a promover a «estima colectiva» por este património.
Olhar para as catedrais como «um património profundamente identitário, plural e multifacetado» é o objectivo primeiro deste Congresso Internacional."

 

publicado por mhp às 23:44
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 8 de Março de 2011

Grupo de Trabalho para o Património Imaterial, recentemente extinto, custou ao Estado 209 mil euros, sem apresentar resultados

Os ministros da Cultura e das Finanças extinguiram no mês passado um grupo de trabalho que haviam criado um ano antes, para fazer o levantamento dos bens culturais imateriais, mas que apenas se reuniu uma vez e não desenvolveu qualquer actividade de campo. Dois dos membros daquele grupo, que custou ao Estado cerca de 209 mil euros, acusam o Instituto dos Museus e da Conservação (IMC) de nunca ter proporcionado as condições indispensáveis ao seu funcionamento. Um deles, o ex-director regional de Cultura de Lisboa e Vale do Tejo, Luís Marques, responsabiliza pessoalmente o secretário de Estado da Cultura, Elísio Sumavielle, pelo falhanço do projecto e por ter “lesado o interesse público”.


Criado em Janeiro de 2010, o Grupo de Trabalho para o Património Imaterial tinha por objectivo a realização, “no campo”, do levantamento “sistemático” e “tendencialmente exaustivo” do património cultural imaterial português. Este levantamento devia ser efectuado no quadro do Departamento do Património Imaterial do IMC e estar concluído até 31 de Dezembro deste ano, constituindo o ponto de partida para a inscrição dos bens imateriais no Inventário Nacional do Património Cultural Imaterial – tarefa que compete legalmente a uma comissão criada em Dezembro último.


Entre os bens cujo levantamento cabia ao grupo de trabalho avultavam “as tradições e expressões orais”, “as expressões artísticas e manifestações de carácter performativo” e “as práticas sociais, rituais e eventos festivos”. Para cumprir esta missão, dada a sua grandeza e a escassez de recursos do IMC – que tinha apenas três pessoas no Departamento do Património Imaterial (DPI), incluindo o director -, a ministra da Cultura, Gabriela Canavilhas, começou por escolher os anteriores directores regionais de Cultura de Lisboa e Vale do Tejo, Luís Marques, do Norte, Helena Gil, e do Alentejo, José Nascimento, que ela própria substituiu quando assumiu funções, em Outubro de 2009. Nenhum deles era funcionário do Ministério da Cultura, pelo que foram contratados com a remuneração mensal de 2613 euros, “paga 14 vezes por ano”, por um período de 24 meses, renovável por uma só vez.


De acordo com o previsto, o grupo começaria a trabalhar em Janeiro de 2010 nas instalações do IMC, no Palácio da Ajuda. O atraso na disponibilização das salas levou, porém, a que os três ex-directores nunca se chegassem a instalar em Lisboa. Já em Março, juntaram-se à equipa duas jovens técnicas que passaram a trabalhar diariamente no DPI, reforçando, na prática, o quadro daquele serviço.


Os três ex-directores, a acreditar nas “informações” avulsas que subscreveram em substituição dos relatórios trimestrais que o grupo estava obrigado a produzir, não fizeram praticamente nada até serem exonerados – com efeitos a partir de 1 de Março -, na sequência da extinção formal da equipa, no dia 12 do mês passado.


Luís Marques, que há longos anos trabalha na área do património imaterial, e Helena Gil não deixaram, contudo, de apontar o dedo ao IMC nas duas informações que apresentaram ao instituto, em Março e em Julho de 2010. Na primeira, a que juntam uma análise elaborada em conjunto sobre um inquérito lançado pelo DPI junto de centenas de entidades relacionadas com o património imaterial, salientam que essa iniciativa é da “exclusiva responsabilidade do DPI”, não tendo o grupo de trabalho tido qualquer intervenção nela, “apesar de a maioria dos seus membros estar ao serviço desde Janeiro”. Na segunda, afirmam que o grupo, “por razões exteriores à sua vontade [...], não conta ainda com as condições básicas de funcionamento, designadamente continua a aguardar a disponibilização das salas.” Os seus membros, acrescenta o documento, “eventualmente a desempenhar tarefas a nível individual, não deram a conhecer o essencial de uma tal acção, nem reuniram em plenário e discutiram e definiram as regras e metas do seu trabalho”.


“Inércia” e “desleixo”
Luís Marques e Helena Gil notam também que solicitaram reuniões a Graça Filipe – a subdirectora do IMC que tinha a responsabilidade do grupo de trabalho e se demitiu em meados de Fevereiro “por razões pessoais” – para lhe manifestarem a sua preocupação, “mas sem sucesso”.


Já José Nascimento, que o PÚBLICO não conseguiu ouvir, limitou-se a apresentar durante todo o ano três documentos de duas ou três páginas onde afirma ter analisado e estudado algumas convenções da UNESCO e ter traduzido alguns textos de “especialistas convidados pela UNESCO”.
Contactado pelo PÚBLICO, Luís Marques insurgiu-se contra a ideia de que tinha estado um ano a receber sem fazer nada, adiantando que falou várias vezes em demitir-se, mas que sempre lhe disseram que ia finalmente haver condições para trabalhar, o que nunca aconteceu. “O que me dói é terem-me impedido de fazer o que há tanto tempo eu queria fazer”, afirma, atribuindo a maior parte das culpas ao secretário de Estado da Cultura.


“A posição dele foi de completa inércia e desleixo funcional, ficando durante um ano praticamente de braços cruzados sem nos dar as condições mínimas de funcionamento. Esta actuação fez com que o interesse público fosse lesado”, acusou o ex-director regional, sustentando que “a direcção do IMC também não pode ficar isenta de responsabilidades”.

 

Fonte: Público, 06/03/2011

publicado por mhp às 02:11
link do post | comentar | favorito

Casa de Chá e Piscina das Marés de Siza Vieira classificadas como Monumentos Nacionais

            Casa de Chá da Boa Nova

 

A Casa de Chá da Boa Nova e as Piscinas das Marés, ambas em Leça da Palmeira, Matosinhos, e projectadas por Álvaro Siza Vieira, são dois dos oito novos monumentos ontem classificados como nacionais pelo Conselho de Ministros.


A lista dos monumentosclassificados inclui também a Casa do Passal (Carregal do Sal), o sítio arqueológico pré-histórico Concheiros de Muge (Salvaterra de Magos), a Igreja do Carmo (Coimbra), o Terreiro da Batalha do Ameixial (Estremoz), o antigo Convento dos Eremitas de S. Paulo da Serra de Ossa ou de Jesus Cristo (Redondo) e o Sistema de Abastecimento de Águas à cidade de Braga do Século XVIII, designado por Sete Fontes.

 

publicado por mhp às 02:09
link do post | comentar | favorito
Domingo, 6 de Março de 2011

Passeio Temático “Moinhos de maré do Ocidente Europeu

Encontram-se abertas as inscrições para o Passeio Temático “Moinhos de Maré do Ocidente Europeu”, no âmbito da programação de iniciativas associadas ao Moinho de Maré de Corroios e que prevê a visita a alguns dos moinhos de maré do Algarve e da Andaluzia.


A iniciativa terá lugar nos dias 30 de Abril e 1 de Maio de 2011, sob coordenação do Ecomuseu Municipal do Seixal, e as inscrições deverão realizar-se junto do Serviço Educativo do Ecomuseu através do telefone 21 0976112.

 

Para mais informações:
claudia.silveira@cm-seixal.pt

publicado por mhp às 12:10
link do post | comentar | favorito

II Encontro Nacional sobre as Bibliotecas e o Livro em Instituições Seculares

 

Terá lugar no próximo dia 25 de Março de 2011, na Biblioteca do Seminário Maior do Porto, o II ENCONTRO NACIONAL SOBRE AS BIBLIOTECAS E O LIVRO EM INSTITUIÇÕES ECLESIAIS.

 

 Contando com a colaboração de reconhecidos especialistas na área, acolhe a especial participação de S. Ema. Rev. Cardeal Raffaele Farina, Bibliotecário-Arquivista do Vaticano. Assegura a abertura da iniciativa D. Manuel Clemente, presidente da Comissão Episcopal da Cultura, Bens Culturais e Comunicações Sociais.
 
Para mais informações:
http://www.bensculturais.com/
 
 

 

publicado por mhp às 12:08
link do post | comentar | favorito

Câmara do Porto tenta pôr em marcha projecto do Museu do Carro Antigo

A Câmara do Porto está empenhada em instalar, neste concelho, o Museu do Carro Antigo com “elevada qualidade”. Para isso, a empresa municipal GOP – Gestão de Obras Públicas já investiu 45 mil euros na elaboração de um estudo prévio de arquitectura para o espaço. Mas ainda não há garantias para a sua concretização.


Foi já em Julho do ano passado que a GOP contratou uma empresa para, em pouco mais de um mês, realizar o estudo prévio de arquitectura para um museu dedicado aos automóveis históricos. Contudo, sete meses depois, o projecto parece não ter passado dessa primeira fase.

 

NB - Ainda bem que o Presidente da Câmara Municipal do Porto não é apreciador de barbies, senão tinhamos que levar com um museu dedicado a essa mitica boneca...

publicado por mhp às 12:04
link do post | comentar | favorito

Projecto “Bosques do Centenário”

 

As inscrições para o projecto Bosques do Centenário, iniciado em 2010, estão abertas até dia ao próximo dia 21 de Março. O projecto dos Bosques do Centenário conta já com 68 municípios inscritos e três participações da sociedade civil, o que se traduz em 10280 novas árvores no território nacional.


A evolução do projecto pode ser apreciada no site da Árvore do Centenário onde os Bosques têm uma rubrica própria, acessível em:
http://arvore.centenariorepublica.pt/index.php?option=com_content&view=article&id=39&Itemid=45. 

 

O projecto Bosques do Centenário insere-se nas Comemorações do Centenário da República e tem como objectivo plantar pequenos bosques de 100 árvores de espécies autóctones em cada um dos municípios de Portugal como forma de assinalar os 100 anos de instauração da República Portuguesa, assinalando esta efeméride com a plantação de “monumentos vivos” em cada um dos 308 municípios portugueses.

 

publicado por mhp às 12:02
link do post | comentar | favorito

Município vai requalificar a Torre do Relógio de Monsaraz

As obras de requalificação da Torre do Relógio, monumento construído em finais do século XVII ou início do século XVIII na vila medieval de Monsaraz, vão ser apresentadas ao público no dia 5 de Março, pelas 15h, na Igreja de Santiago. A sessão de esclarecimento e informação técnica da obra vai ser promovida pelo Município de Reguengos de Monsaraz e pela empresa que vai desenvolver os trabalhos, a Monumenta – Conservação e Restauro do Património Arquitectónico, Lda. A empreitada de “Recuperação de Imóveis em Monsaraz – Torre do Relógio”, no valor de quase 89 mil euros, foi candidatada ao “Eixo 2 – Desenvolvimento Urbano – Redes Urbanas para a Competitividade e a Inovação” e será comparticipada em 80 por cento pelos fundos comunitários. O prazo de execução da obra é de três meses.

publicado por mhp às 12:01
link do post | comentar | favorito

...

publicado por mhp às 11:58
link do post | comentar | favorito

Atelier de Arqueologia Tropical no Jardim Botânico

“ATELIER de ARQUEOLOGIA TROPICAL 12 de MARÇO às 11H00 e às 15HOO”


Ser Arqueólogo no Campo e no Gabinete

 

Atelier Arqueologia

 

O Jardim Botânico Tropical propõe às famílias um Atelier de Arqueologia Tropical no dia 12 de Março, Sábado.
 

Condições: Atelier limitado a 15 participantes (por turno); o ponto de encontro é o átrio do Palácio da Calheta.

 

Preço do Atelier: 3,50 euros Entrada no Jardim: 2 euros adultos, crianças grátis até aos 11 anos Informações e marcações: Tel.: 21 360 9665; Fax: 21 361 9739; e-mail: 

ana.godinho@iict.pt

publicado por mhp às 11:56
link do post | comentar | favorito

A Arquitectura Rural Vernácula do Antigo Regime do Baixo Guadiana

 

Em Tavira, no dia 6 de Março, domingo, pelas 09h30, realiza-se o passeio Cidade e Mundos Rurais “A Arquitectura Rural Vernácula do Antigo Regime no Baixo Guadiana”, na freguesia da Luz de Tavira, sob a orientação do arquitecto João Vieira Caldas.

 

Para mais informações:
www.cm-tavira.pt

 

publicado por mhp às 11:51
link do post | comentar | favorito

Programa de Apoio aos Agentes Culturais 2011

 

A Direcção Regional de Cultura do Norte informa que o período de entrega das candidaturas ao Programa de Apoio aos Agentes Culturais decorrerá entre os dias 7 de Março e 8 de Abril de 2011. Os resultados serão divulgados neste sítio até ao final do mês de Abril do corrente ano.

 

Para mais informações:
www.culturanorte.pt

 

publicado por mhp às 11:46
link do post | comentar | favorito
Sábado, 26 de Fevereiro de 2011

Conferência: "A Obra Patrimonial da 1ª República (1910-1932). A Questão da Protecção do Património Artístico"

No próximo Domingo, dia 27 de Fevereiro, tem lugar o encerramento da Exposição “O Museu José Malhoa. As Caldas e a República”, produzida no âmbito do protocolo estabelecido entre a Comissão Nacional para as Comemorações do Centenário da República e o Instituto dos Museus e da Conservação. 

 

Assinalando este momento, terá lugar a seguinte conferência:
A Obra Patrimonial da 1ª República (1910-1932). A Questão da Protecção do Património Artístico.

Professor Doutor Jorge Custódio 

 

Domingo, 27 de Fevereiro de 2010, pelas 15:30 horas

 

publicado por mhp às 11:47
link do post | comentar | favorito

Conferência: "Património Imaterial. O Papel dos Museus"

 

Dando continuidade ao ciclo de conversas “Primeiras Segundas – conversas leves, temas de peso”, no dia 07 de Março pelas 21h30 contaremos com a presença da convidada Carla Queirós do Instituto dos Museus e da Conservação para abordar a temática“Património Imaterial: o papel dos Museus”. Desenvolvida pelo Núcleo de Museu Municipal e Património Cultural da Autarquia, esta actividade visa, em ambiente informal, problematizar uma série de temas relacionados com a museologia e o património cultural.

 

Local: Auditório Virgílio Arruda na Biblioteca Municipal de Santarém.

 

publicado por mhp às 11:45
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 23 de Fevereiro de 2011

Ciclo de Conferências "Em torno da Conservação e Restauro"

O Ciclo de Conferências "Em torno da Conservação e Restauro" continuará dia 23 de Fevereiro de 2011, pelas 16h00, no Auditório do Museu Nacional de Arte Antiga.
 
O tema da conferência será "Avaliação de branqueamentos utilizados numa colecção de papéis com manchas", proferida por Francisca Figueira, Ana Clara Rocha, Marina Afonso e Luísa Carvalho. 
 
No âmbito do projecto “Caracterização morfológica de manchas no papel e metodologias de tratamento”, que decorreu entre Setembro 2007 e 2010, financiado pelo programa Projectos de Investigação Científica e Tecnológica (I&D) da Fundação para a Ciência e Tecnologia, foram testados tratamentos em manchas de ar, foxing, fungos, líquido e luz em 17 papéis e cartolinas.

Nesta Conferência serão apresentados os resultados do projecto.

 

publicado por mhp às 16:07
link do post | comentar | favorito

VI Congresso Internacional de História Marítima

 

 

Está aberto, até ao dia 31 de Março, o Call for Papers para o 6th International Congress of Maritime History. Enquanto as primeiras edições abordaram um conceito mais amplo do conceito de história marítima, que interliga várias disciplinas de diferentes períodos e áreas históricas, desta vez pretende-se promover e explorar a relação da humanidade com o mar até aos dias de hoje.

 

As propostas devem ser enviadas para imeha2012@ugent.be.
 

O congresso terá lugar em Ghent, Bélgica, de 2 a 6 de Julho de 2012 e é co-organizado pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP).

 

Para mais informações:
http://www.imeha2012.ugent.be/

 

publicado por mhp às 16:04
link do post | comentar | favorito

Museu da Baleia

O Museu da Baleia irá abrir portas no próximo Verão. A data é estimada pelo secretário regional do Equipamento Social, Luís Santos Costa que esta manhã visitou as obras de requalificação urbana da Praça do Caniçal. O governante assegurou igualmente que em termos de equipamentos a realizar sob tutela do Governo Regional ainda durante este mandato está previsto a concretização de três novas infra-estruturas: uma estrada do centro da vila ao sítio da Palmeira, um estacionamento automóvel e ainda a sede social do Caniçal, numa valência anexa ao Museu da Baleia.

 

publicado por mhp às 16:02
link do post | comentar | favorito

VIII Colóquio Luso-Brasileiro de História da Arte

O VIII Colóquio Luso-Brasileiro da História da Arte decorrerá entre os dias 4 e 8 de Abril, em Belém (Brasil), no Centro de Convenções da Universidade Federal do Pará (UFPA)

 

Para mais informações consultar o seguinte site:
http://xumucuis.wordpress.com/2011/02/01/viii-coloquio-luso-brasileiro-de-historia-da-arte/

 

publicado por mhp às 15:58
link do post | comentar | favorito

Seminário: Cuidar das Casas. A manutenção do Património corrente"

O Núcleo do Porto do ICOMOS Portugal e a Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto estão a organizar um seminário que ocorrerá no dia 25 de Fevereiro na Biblioteca Almeida Garret, no Porto, sob o tema "Cuidar das casas. A manutenção do património corrente".

 

Sendo muitas vezes esquecido, este património menor ou corrente é aquele em que habitamos e que conforma a imagem das nossas cidades. O cuidado e a preservação informada e consciente deste património constituem um contributo importante para uma sustentabilidade urbana mais desejável, bem como para a promoção de processos de coesão social.

 

Podem consultar o site do seminário em: http://ncrep.fe.up.pt/ICOMOS_cuidardascasas/

publicado por mhp às 15:49
link do post | comentar | favorito
Domingo, 20 de Fevereiro de 2011

IX Jornadas do ICOM Portugal

Já se encontra disponível, na página do ICOM-Portugal, informação sobre as IX Jornadas, que se realizarão no dia 28 de Março, no Museu das Comunicações, em Lisboa. As IX Jornadas são dedicadas ao tema ‘Museus e Memória’, que é também o tema do Dia Internacional dos Museus deste ano, e contam com a presença de Joaquim Paes de Brito,Dóris SantosMaria José SantosJosé Alberto RibeiroJack Lomaan.


As inscrições também já estão abertas e fazem-se, como habitulmente, através do emailinfo@icom-portugal.org.

 

Para mais informações:
http://www.icom-portugal.org/

 

publicado por mhp às 11:09
link do post | comentar | favorito

III Seminário de Museologia dos Países de Língua Portuguesa e Castelhana

O III SEMINÁRIO DE INVESTIGAÇÃO EM MUSEOLOGIA DOS PAÍSES DE LÍNGUA PORTUGUESA E ESPANHOLA terá lugar este ano a 20, 21 e 22 de Outubro em Madrid com organização da Universidad Autónoma de Madrid.

 

Para quem desejar fazer uma apresentação, em princípio o Call for papers sairá em Abril e estará aberto durante um mês.

 

publicado por mhp às 11:05
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 15 de Fevereiro de 2011

Prémio ENEH / Apenas Livros 2011

O Prémio ENEH/Apenas Livros 2011 é uma iniciativa integrada no VI Encontro Nacional de Estudantes de História, o qual se realizará na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa entre 24 e 27 de Março de 2011. O objectivo é o reconhecimento do mérito dos estudantes e investigadores em História, História da Arte, Arqueologia, Património e Museologia.

 

Candidaturas até 5 Março 2011

 

Mais informações no site do VI Encontro Nacional de Estudantes de História (https://sites.google.com/site/enehevent2011/home) ou através do e-mail:vieneh.2011@gmail.com

 

publicado por mhp às 11:35
link do post | comentar | favorito

Acervo do Arquivo Histórico da Câmara de Lisboa volta a estar disponível ao Público

A documentação do arquivo histórico da Câmara de Lisboa vai voltar a estar disponível para consulta pública a partir de 21 de Fevereiro, em Campolide.

 

Este acervo, que integra documentos que remontam aos primeiros anos do século XII, estava inacessível desde 2002.


A partir de dia 21, a documentação do arquivo histórico pode ser consultada nos dias úteis, entre as 9h30 e as 17h00.

publicado por mhp às 11:31
link do post | comentar | favorito

Bolsa de Investigação

Até 21 de Fevereiro 2011

 

Concurso da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa para duas Bolsas de Investigação no âmbito do Centro de História – Projecto Memória e Historiografia: fontes para a história portuguesa (séculos XVIII-XX).

 

Disponível em:


http://www.fl.ul.pt/investigacao/bolsas_flul.html
http://www.eracareers.pt/opportunities/index.aspx?task=global&jobId=22052

publicado por mhp às 11:28
link do post | comentar | favorito
Sábado, 12 de Fevereiro de 2011

Opinião - Contribuem com a vossa

A Faculdade de Letras da Universidade do Porto, através do UNAPS (Unidade de Apoio à Prestação de Serviços), lançou uma variada gama de "produtos" para o mercado. Como se de uma empresa tratasse, o UNAPS elaborou para cada "produto" os objectivos, os destinatários dos mesmos e os meios técnico-profissionais da FLUP que podem desenvolver esse "produto". Até aqui nada de novo, já que a passagem da UP para Fundação levou a que cada faculdade pudesse percorrer e desenvolver novos caminhos para se auto-financiar.

 

Ao percorrer os serviços oferecidos, um merece destaque visto centrar-se na nossa área de investigação: Património. Por curiosidade, comecei a ler o panfleto que tenta "vender" o "produto". Confesso que ao ler a secção "Estudos e desenvolvimento à medida" alguns pontos fizeram-me rir como "Inventariação do Património Plástico" ou "Estudos em artes multimédia". O primeiro deve querer referir-se a artes plásticas, penso eu (embora o termo património plástico leve a muitas conjecturas), e o segundo não é mais adequado para outras áreas? Mas o que não me fez rir, antes pelo contrário, provocando-me alguma urticária, foi a secção "Domínios". Para o meu espanto, ou não, a História foi completamente esquecida. As áreas que consta no panfleto estão correctas. Mas e a História, meus amigos? Por acaso não sabem que a vossa faculdade, essa instituição que no final do mês deposita, com muito sacrificio, os muitos euros na vossa conta bancária, ministra um curso de 2º ciclo apelidado de História e Património? Se o faz é porque acha essencial aliar a História ao Património. Será que não quiseram arranjar problemas entre departamentos? (Sim, porque as áreas que colocaram são as mesmas do Departamento de Ciências e Técnicas do Património). Ou, pelo contrário, ainda acham que a História é uma ciência fechada que não serve para nada e que qualquer um "faz história"?

 

Gostava de saber a vossa opinião sobre o que vão ler no seguinte link:

https://sigarra.up.pt/flup/web_gessi_docs.download_file?p_name=F1250691487/Flyer_Patrim%F3nio_Servicos_f.pdf

tags:
publicado por mhp às 11:17
link do post | comentar | favorito

Encontros com o Património "Os dias das Conservas - Museu de Portimão"

12 de Fevereiro de 2011
entre as 12h00 e as 13h00, com reemissão entre a 1h00 e as 2h00


Programa da TSF
Encontros com o Património, em parceria com o IGESPAR, I.P.

«Os dias das conservas – Museu de Portimão»


O Museu Municipal de Portimão inaugurou a 17 de Maio de 2008 e foi eleito o “Museu do Ano do Conselho da Europa”, de 2010. Fruto de um trabalho de 27 anos, o Museu instalou-se numa antiga unidade industrial conserveira – a Fábrica Feu Hermanos, edifício de final do séc. XIX, restaurado e reabilitado para integrar o programa museológico. Dos três percursos que se encontram patentes, destacamos “A vida industrial e o desafio do mar”, em torno do qual se abordarão temas como: a actividade da pesca e sua relação com a indústria conserveira, os centros industriais do Algarve, o património industrial, seu valor e reconversão. Estas são algumas das questões a explorar pelo jornalista Manuel Vilas–Boas que conversa com os Drs. José Gameiro e António Feu, a Doutora Maria João Raminhos e o Professor António Rosa Mendes.

publicado por mhp às 11:14
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 2 de Fevereiro de 2011

Património Imaterial do centro histórico do Porto dinamizado com dois milhões de euros nos próximos dois anos

A empresa municipal Porto Lazer começou hoje a procurar projetos de cultura e inovação no centro histórico para, nos próximos dois anos, investir dois milhões de euros no “património imaterial” daquela zona, anunciou o vereador Vladimiro Feliz.

O responsável pelo Turismo, Inovação e Lazer da Câmara do Porto falava durante a apresentação do “Porto 2.0”, um programa que prevê um investimento “de quase dois milhões de euros” cofinanciados em 70 por cento pelo Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional.

O programa “não funcionará numa lógica de candidaturas”, alertou o vereador, explicando que “haverá uma equipa destacada” para encontrar projetos.

“Será um trabalho de boca a boca, nas ruas, para conhecer a realidade do centro histórico. Interessa ir às pessoas, às associações, e chamá-las para trabalhar connosco”, frisou.

Centro histórico mais criativo

A ideia é criar “um processo de prospeção e proximidade com as várias comunidades existentes no centro histórico, de olhar para os vários ativos existentes e criar um efeito alavanca”. O vereador esclareceu que o “Porto 2.0” será um “projeto muito transversal”, destinado à “criatividade e criação de novas soluções”.

Vladimiro Feliz apontou a hipótese de “um restaurante ou bar ser complementado com a performance de um artista” e de “um músico a trabalhar com um cozinheiro”. Pretende-se que o projeto se transforme na “maior ação integrada de cultura e inovação com impacto sustentado no desenvolvimento regional do Norte de Portugal”.

A intenção é que se façam “diagnósticos”, descubram “participantes”, concretizem “parcerias”, concebam “intervenções” e programem ações. A produção criativa que resultar “não será nem de vanguarda nem tradicional”, mas sim “o que a comunidade criativa, envolvendo as populações, conseguir desenhar”.

O objetivo é, também, dinamizar o turismo e economia, porque “todas as ações que vierem a ser realizadas terão sempre uma componente de financiamento privado”, podendo “triplicar o valor inicial” do investimento.

Parceiros culturais

O Balleteatro, a ESAP – Cooperativa de Ensino Superior Artístico do Porto, a ESMAE – Escola Superior de Música e Artes do Espetáculo, a Fábrica Social – Fundação José Rodrigues, as Faculdades de Arquitetura e de Belas Artes da Universidade do Porto, o FITEI – Festival Internacional de Teatro de Expressão Ibérica e o Maus Hábitos são alguns dos parceiros do projeto.

Em “desenvolvimento” estão parcerias com outras entidades, como a Addict – Agência para o Desenvolvimento das Indústrias Criativas, a Casa da Música, o Plano B, a Universidade do Porto e juntas de freguesia. O “Porto 2.0” candidatou-se em 2009 ao “Sistema de Apoio ao Cluster de Indústrias Criativas” promovido pela Comissão de Coordenação e Desenvolvimento da Região Norte, na categoria “Grandes Eventos”.

A candidatura aprovada em 2010 prevê que a Porto Lazer comparticipe o investimento em 30 por cento mas, de acordo com Vladimiro Feliz, “está em avaliação” a possibilidade de passar para 20 por cento, em nome “da boa gestão dos dinheiros públicos”.

LUSA

publicado por mhp às 18:13
link do post | comentar | favorito

.Informações sobre o MHP

.pesquisar

 

.Abril 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.links

.arquivos

. Abril 2012

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

.posts recentes

. A Câmara do Porto quer co...

. Elevador de Santa Justa c...

. Descobertos nos Açores pr...

. Braga: Turel ganha espaço...

. Biblioteca Nacional tem c...

. ON.2 promove rede de coop...

. Produtos Artesanais – Doc...

. Projecto “Às terças na sa...

. Exposição “Brinquedos Por...

. FAUP lança Curso de Estud...

. Lançamento do livro «Rece...

. Túmulo nos Jerónimos pode...

. Seminário “O AMbiente Dig...

. “Casa Portuguesa” vai sur...

. Ruínas romanas de Tróia r...

. Recuperação do Teatro do ...

. IGESPAR prevê lançar conc...

. Ministros da Cultura acor...

. Apresentação Pública do P...

. Ciclo de palestras sobre ...

. Parque Natural inventaria...

. III Encuentro latinoameri...

. Seminário: "Redes de Muse...

. Oficina de Metodologia e ...

. BNP adquire conjunto de p...

. Conferências “História e ...

. Exposição de Olaria – Séc...

. II Conferência Nacional s...

. Turismo: Alentejo conside...

. VI Seminário Internaciona...

. MC e Misericórdias incent...

. Texto mais antigo da Euro...

. Breves Notícias

. AECT Duero-Douro com prog...

. Google Street View permit...

. IMC quer reduzir entradas...

. Cidades europeias "de cul...

. Instituto Andaluz do Patr...

. Inventário do Património:...

. Seminário MSML, Percurso ...

. Aquisição pelo Estado de ...

. Premios SOS Azulejo 2010 ...

. DGARTES disponibiliza um ...

. Rota Europeia dos Cemitér...

. Moçambique vai acolher um...

. Curso «A Arte Barroca – o...

. Nova Rota das Igrejas de ...

. Sessão pública de apresen...

. Nove museus passam para a...

. Ministério da Cultura põe...

.Últimos Comentários

Bom dia,O link está com um problema, que não permi...
Joana,O novo site ainda está em construção, mas o ...
Boa noiteGostaria de saber qual o novo endereço do...
Boa entrada, Paulo. Esta iniciativa seria um óptim...

.tags

. todas as tags