Sexta-feira, 15 de Julho de 2011

Sidónio Pais vai ter Museu na casa onde nasceu

A Câmara de Caminha vai apoiar a criação de um polo do Museu da Presidência a instalar na Casa Sidónio Pais, antiga residência do quarto presidente da República portuguesa, ali nascido em 1872, anunciou o município.

«Temos a casa comprada, os estudos e escavações feitos, o título do terreno e os protocolos prontos. Basta abrir uma linha de financiamento para podermos avançar com a candidatura para as obras», explicou à Lusa fonte do município de Caminha.

No sábado, o presidente da República, Cavaco Silva, visita o município e assiste à assinatura do protocolo entre a Câmara de Caminha e o Museu da Presidência para a criação do polo do Museu da Presidência na Casa Sidónio Pais, edifício atualmente em ruínas, entretanto adquirido pela autarquia.

Fonte: Diário Digital / Lusa

publicado por mhp às 12:40
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 17 de Junho de 2011

ARQUIVO SECRETO DO VATICANO

 

 

ARQUIVO SECRETO DO VATICANO
DOCUMENTAÇÃO PORTUGUESA
OBRA MONUMENTAL EM 3 TOMOS

 

Há bibliotecas e arquivos míticos que têm suscitado as mais fantásticas histórias e alimentado diversíssimos livros de ficção muito lidos mundialmente.

O Arquivo Secreto do Vaticano é imaginado correntemente como um dos arquivos mais secretos do mundo. Tão mitificado como este Arquivo talvez possa ombrear em fama a Biblioteca de Alexandria, a maior biblioteca da Antiguidade destruída por um incêndio.

Na realidade, aquela que era a Biblioteca privada do Papa, o Arquivo Secreto do Vaticano, tem acumulado, ao longo dos séculos, informação preciosa acerca dos dois mil anos de história da Igreja nas suas relações com o mundo.

Com esta obra pretende-se levantar um pouco o véu desse imenso arquivo e revelar documentação pouco conhecida relativa ao período da Expansão Portuguesa, desde o século XV ao século XX.

Preparados por uma vasta equipa de investigadores durante cerca de década e meia que pesquisou o fundo da Nunciatura de Lisboa patente no Arquivo Secreto do Vaticano, estes volumes revelam-se de grande importância para quem se interessa pelo conhecimento da história, da política, da religião e da sociedade no âmbito das relações de Portugal e as grandes regiões do seu chamado Império Ultramarino.

Esta é uma obra de grande fôlego. Pode ser considerada uma espécie de base de dados notável resultante do processo de expansão mundial do Cristianismo por via portuguesa que operou aquilo que podemos chamar a primeira época da globalização das relações entre os povos.

publicado por mhp às 13:37
link do post | comentar | favorito

Túmulo nos Jerónimos poderá não conter os restos mortais de Camões

 

Vítor Aguiar e Silva, académico e investigador que se tem dedicado aos estudos camonianos, explicou à Lusa que, “com grande probabilidade, as ossadas guardadas no mausoléu dos Jerónimos “não são de Camões”.
O poeta terá sido sepultado na Igreja de Sant’Ana, em Lisboa, próxima da casa onde vivia a sua mãe, na calçada de Santana, mas “não se sabe exactamente onde foi colocado o cadáver, se dentro, se fora da igreja ou se até numa fossa”, sublinhou Aguiar e Silva.
Supõe-se que teria ficado sepultado do lado esquerdo da entrada principal da igreja e, anos mais tarde, D. Gonçalo Coutinho mandou colocar no local uma lápide de mármore em que refere Camões como “Príncipe dos Poetas do seu tempo”, que faleceu em 1579.
Vítor Aguiar e Silva afirmou à Lusa que “a memória falha”, o que justifica o engano no epitáfio do poeta, dando antes crédito ao documento da chancelaria de Filipe I (II de Espanha) que atribui uma tença à mãe de Camões e afirma que este morreu a 10 de Junho de 1580.
No entanto, desde o sepultamento, em 1580, à trasladação, três séculos depois, deu-se o terramoto de 1755, que destruiu muito a igreja, que foi ainda alvo, posteriormente, de obras para a construção de um coro alto.
Para Aguiar e Silva, “no estreito rigor histórico” ninguém sabe ao certo onde estão os restos mortais de Camões e “há as maiores dúvidas” que se encontrem na arca tumular nos Jerónimos, de autoria de Costa Mota Pio, onde invariavelmente Chefes de Estado e estadistas cerimoniosamente colocam coroas de flores quando visitam Portugal.
Os restos mortais do autor de “Os Lusíadas” foram transladados em 1880 para o Mosteiro dos Jerónimos, numa altura de exaltação patriótica a que não foi alheia a propaganda republicana que já se fazia sentir.
Uma comissão foi constituída e encarregada por Rodrigo da Fonseca, então ministro do Reino, de encontrar as ossadas do lírico e lhe dar sepultura digna, o que veio a acontecer no tricentenário da sua morte (1880).
Todavia, como alerta Aguiar e Silva, “até a própria comissão tem dúvidas da autenticidade do que trasladou”.
(…)

Fonte: Público, 09.06.2011

publicado por mhp às 13:04
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 25 de Abril de 2011

Seminário: "Redes de Museus" 20-21 de Maio em Vila Nova de Famalicão

 

 


A cidade de Vila Nova de Famalicão vai receber, nos próximos dias 20 e 21 de Maio, um seminário sobre redes de museus, que contará com a presença dos melhores especialistas nacionais do sector. O programa, que será divulgado oportunamente, está em fase de conclusão, sabendo-se, desde já, que o encontro, organizado pelo pelouro da Cultura da Câmara Municipal de Famalicão, terá lugar na Casa das Artes e contará a colaboração da Faculdade de Letras da Universidade do Porto.

 

Intitulado “Redes de Museus – Território. Identidade. Património”, o seminário contará com um painel diversificado de especialistas, com destaque para os responsáveis pela Rede Portuguesa de Museus, João Carlos Brigola e Clara Camacho. Destaque ainda para a presença do programador da Capital Europeia de Cultura de 2012 em Guimarães, João Serra, para além de vários académicos, técnicos de museologia e coordenadores científicos de museus.

 

Neste âmbito, os museus da rede museológica de Vila Nova de Famalicão, cujo funcionamento em rede está em fase de implementação, vão também ser objecto de debate, estando prevista a apresentação de um plano de acção para os próximos anos.

 

Os coordenadores dos museus de Vila Nova de Famalicão (Casa-Museu de Camilo, Museu do Surrealismo, Museu Bernardino Machado, todos pertencentes à rede portuguesa de museus, sem esquecer os museus da Indústria Têxtil da Bacia do Ave, os núcleos ferroviários de Lousado e Nine e os museus de Arte Sacra da Lapa e de Antas e o da Cerâmica de Bairro) falarão das suas unidades e dos seus projectos para integrar esta rede.

 

A par das experiências no terreno, os especialistas e técnicos da área, entre os quais Armando Coelho, director dos cursos de mestrado e doutoramento da Universidade do Porto, e o designer Francisco Providência, apresentarão os conhecimentos teóricos mais recentes da museografia contemporânea. O programa detalhado será apresentado oportunamente.



 

Seminário REDE DE MUSEUS
Casa das Artes - 20 e 21 Maio

Organização
Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão, Pelouro da Cultura e Turismo
Universidade do Porto, Departamento de Ciências e Técnicas do Património da Faculdade de Letras  

Contactos
E-mail: geral@patrimoniodefamalicao.org
Telefone: 252 320 954


PROGRAMAÇÃO DO SEMINÁRIO

DIA 20 (SEXTA-FEIRA)


09h30 Sessão de abertura
Arq. Armindo Costa, Presidente da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão
Prof. Doutor Armando Coelho, Director do Departamento de Ciências e Técnicas do Património, da Faculdade de Letras da Universidade do Porto
Arqª. Paula Silva, Directora Regional de Cultura do Norte 

10h00 O Castro das Eiras e a Rede de Castros do Noroeste Peninsular” 
Prof. Doutor Armando Coelho, Coordenador Científico do Gabinete de Arqueologia da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão 
Dr. Paulo Costa Pinto, Doutorando de Museologia, Membro da Comissão Coordenadora da Rede de Castros do Noroeste, Investigador do CITCEM

Intervalo

11h00 O Programa Museológico dos Núcleos da Fundação Museu Nacional Ferroviário: o caso de Lousado e Nine
Prof. Doutor Jorge Custódio, Director do Museu Nacional Ferroviário 

11h30 O Museu da Indústria Têxtil da Bacia do Ave: um museu para um território” 
Prof. Doutor José Manuel Lopes Cordeiro, Coordenador Científico do Museu da Industria Têxtil da Bacia do Ave.

12h00 O Museu da Guerra Colonial – Arquivo de Memória Histórica
Dr. José Manuel Lages, Director Científico do Museu da Guerra Colonial 

12h00“O Museu da Guerra Colonial e os Museus Militares
Drª Mariana Jacob, Mestranda em Museologia, Faculdade de Letras da Universidade do Porto


12h30 Debate

Intervalo para almoço

14h30 “O Centro de Estudos do Surrealismo e a Rede de Centros de Arte Contemporânea
Dr. António Gonçalves, Director Artístico da Fundação Cupertino de Miranda

15h00 “Museus de Arte Religiosa – para que servem?” 
Dr. A. Martins Vieira, Coordenador Científico dos Museus de Arte Sacra da Lapa e de Antas

15h00 “Museus de Arte Sacra e o Turismo Religioso.”
Dr. Varico Pereira, Licenciado e Mestre em Turismo, Universidade de Trás-os-Montes, Director-Técnico da Turel

15h30 O Museu de Cerâmica da Fundação Castro Alves – Escola / Oficina
Dr. Manuel Boaventura, Presidente do Conselho de Administração da Fundação Castro Alves
Manuela Granja, Administradora e Coordenadora do Museu de Cerâmica da Fundação Castro Alves

Intervalo
    
16h30 As Casas de Camilo e de Rosalia: embrião de uma associação europeia de casas de escritor?” 
Dr. José Manuel Oliveira, Coordenador Técnico do Centro de Estudos Camilianos

17h00 A importância que espaços e pessoas tiveram na criação de obras de Camilo Castelo Branco – bases para um Itinerário Camiliano
Drª Fátima Castro, Investigadora

17h30 O Museu Bernardino Machado e a sua Inter-nacionalização” 
Prof. Doutor Norberto Cunha, Coordenador Científico do Museu Bernardino Machado

18h00 Debate 


DIA 21 (SÁBADO)

09h30 Gestão Integrada do Património Cultural no Concelho de Vila Nova de Famalicão – O caso prático da Freguesia de Gondifelos
Dr. Nelson Pereira, Técnico Superior da Câmara Municipal de Vila Nova de Famalicão 
Dr. Paulo Correia, Mestrando em História e Património - Faculdade de Letras da Universidade do Porto

10h00 Exposições e Comunicação em Museus” 
Arq. Inês Moreira, Prof. Universidade do Porto

10h30  Conservação e Museus
Dr. Carlos Mota, Conservador do Museu do Douro

Intervalo

11h15 Museografia e Designer
Dr. Francisco Providência, Designer

11h45 Debate

Intervalo para almoço

14h30 Instituto dos Museus e da Conservação IMC
Dr. João Carlos Brigola,  Presidente do IMC
Drª Isabel Victor, Directora do Departamento dos Museus do IMC

15h15 Redes de Museus: Aspectos organizativos” 
Drª Clara Camacho, Doutoranda em Museologia

15h45 “A Rede de Museus do Algarve” 
Dr. Jorge Queirós, Director do Departamento de Cultura da Câmara Municipal de Tavira

Intervalo

16h30 Museus de Famalicão – Rede Museológica Municipal
Dr. Artur Sá da Costa, Coordenador do Projecto - Rede Museológica Municipal 

16h45 “Um guia para a rede museológica municipal – O caso de Peniche
Prof. Doutor João Serra, Professor Coordenador do Instituto Politécnico de Leiria e Administrador (com o pelouro da Programação) de Guimarães 2012, Capital Europeia da Cultura 

17h15 Debate

18h00 Sessão de encerramento
Dr. Paulo Cunha, Vereador da Cultura e Turismo

 

 

publicado por mhp às 11:14
link do post | comentar | favorito

Conferências “História e Memória no Arquivo Distrital de Braga”

Conferências “História e Memória no Arquivo Distrital de Braga” Salão Nobre da Universidade do Minho, Largo do Paço Braga, quarta-feira, 27-04-2011, 18h00

 

De periodicidade mensal, o ciclo de Conferências “História e Memória no Arquivo Distrital de Braga” destina-se a um público vasto, desde alunos, docentes e investigadores universitários, mas também à sociedade em geral, com interesse nestes temas e no conhecimento do passado de Braga e da região. Visa dar a conhecer os preciosos fundos do Arquivo e a investigação histórica que a partir deles tem sido desenvolvida. A iniciativa organizada pelo Arquivo Distrital de Braga e pelo Departamento de História da UMinho tem apoio do Conselho Cultural da UMinho e do CITCEM – Instituto de Ciências Sociais da UMinho.

publicado por mhp às 11:10
link do post | comentar | favorito

Congresso Nacional de História e Ciência Política

 

 

Estão abertas as inscrições para o Congresso Nacional de História e Ciência Política, que decorre na Figueira da Foz a 12 e 13 de Maio, sob o título Outras Vozes na República 1910-1026.

 

Para mais informações: http://outrasvozesnarepublica.wordpress.com/programa/

 

 

publicado por mhp às 11:00
link do post | comentar | favorito

Congresso “O Porto Romântico”

 

 

 Dias 29 e 30 de Abril, campus Foz – Universidade Católica Portuguesa

 

Organizado pelo Centro de Investigação em Ciência e Tecnologia das Artes (CITAR) da Escola das Artes da UCP. 

 

O Porto do Romantismo viveu um dos mais efervescentes períodos da sua História, com profundas alterações a nível económico, das mentalidades e da vida pública e privada. Este congresso pretende analisar, numa perspectiva global, a vida da urbe portuense e do seu termo entre cerca de 1830/1840 e os primeiros tempos do século XX, abarcando as várias expressões de um tardo-romantismo.


O congresso, com a duração de dois dias, organiza-se em torno de quatro grandes secções:Estudos Políticos e Institucionais / Estudos Histórico-Artísticos / Estudos Culturais e Musicais / Estudos Económicos e Sociais, contando com a participação de alguns dos maiores especialistas deste período, nos seus vários domínios, incluindo dois convidados estrangeiros, que focarão aspectos da vida do Romantismo em cidades como Cádiz e São Paulo.

 

Para consultar programa do congresso: http://www.porto.ucp.pt/site/custom/template/ucptplpag.asp?SSPAGEID=284&lang=1&artigoID=2922 

 

Contacto: pfontes@porto.ucp.pt

 

 

publicado por mhp às 10:55
link do post | comentar | favorito

V Caminhada pela História

 

 

A Câmara Municipal de Belmonte organiza, no dia 1 de Maio de 2011, a V Caminhada pela História, com a qual pretende sensibilizar todos os participantes para o património do Concelho, aliando a História à prática de desporto.


Este ano, a Caminhada irá decorrer na freguesia de Caria, num percurso com cerca de 14Km, no qual se pretende visitar vários monumentos e sítios históricos de diferentes épocas cronológicas – Casa da Torre, Igreja Matriz, Casa da Roda, Casa Etnográfica, entre outros.
A Caminhada terá início na Casa da Torre às 9h30.

 

Inscrições gratuitas até dia 27 de Abril de 2011 no Gabinete de Arqueologia e Património da Câmara Municipal de Belmonte ou pelo telf: 275910010, fax: 275910019, email:cmbelmonte@mail.telepac.pt.

 

 

publicado por mhp às 10:53
link do post | comentar | favorito
Sábado, 9 de Abril de 2011

Breves Notícias

Conferência InterRegional debate preservação do artesanato e património cultural europeu

 

O Município de Alcobaça recebe, nos dias 6 e 7 de Abril, a 2.ª Conferência InterRegional do Projecto de Cooperação do Fundo de Desenvolvimento Europeu, apresentando o programa CeRamICa Plus, composto por um Ciclo de Conferências e pela Exposição “Cerâmica em Alcobaça: 1875 até ao Presente”, que estará patente ao público até 6 de Maio, na Galeria de Exposições temporárias do Mosteiro de Alcobaça. O grande objectivo desta conferência passa pela preservação do artesanato e do património cultural Europeu. O debate público foca-se em temáticas como as melhores práticas nos campos da cooperação, clustering, design, marketing e inovação, bem como da educação e da formação.

 

 

Monumentos do IGESPAR comemoram Dia Internacional dos Monumentos e Sítios

 

O IGESPAR promove um conjunto de actividades a decorrer nos seus monumentos, no âmbito das comemorações do Dia Internacional dos Monumentos e Sítios.

Consulte o programa em :http://www.igespar.pt/pt/news/9/1976/

 

 

Ministério da Cultura nega redução de entradas gratuitas em museus e palácios ao domingo

 

A redução das entradas gratuitas nos museus e nos palácios a um domingo por mês não passa de uma proposta do Instituto dos Museus e da Conservação (IMC) que nunca foi discutida pela ministra da Cultura.

 

“O Ministério da Cultura refuta qualquer intenção de alterar a política de entradas livres aos visitantes dos museus portugueses”, garantiu hoje o ministério de Gabriela Canavilhas num comunicado enviado ao fim da tarde para a Lusa.


Canavilhas refutou, assim, as declarações feitas esta terça-feira pelo director do IMC, João Brigola, que dizia estar a ser discutida a possibilidade de alterar o actual esquema de gratuitidade nos 34 museus e palácios que tutela – actualmente a entrada aos domingos é livre – já a partir de Junho.


Foi num encontro no Palácio Nacional de Queluz, em que foram apresentadas as estatísticas de visitantes de museus e palácios, que Brigola defendeu a limitação das entradas grátis a um domingo por mês e a alteração do plano de descontos de que usufruem alguns profissionais.


“Na situação em que estamos, o país não se pode dar ao luxo de ter níveis tão elevados de gratuitidade”, disse Brigola na terça-feira, sublinhando que 61 por cento dos visitantes de museus e palácios não pagaram entrada em 2010.


Hoje, o director do IMC voltou a afirmar ao PÚBLICO por telefone a “necessidade absoluta” de aumentar as receitas e classificou o comunicado do Ministério da Cultura (MC) como um “esclarecimento”: “Não é, de todo, um desmentido. Eu nunca disse que a decisão estava tomada, disse apenas que a diminuição estava a ser debatida.”


No comunicado, no entanto, é dito que “o assunto nunca foi discutido” com Canavilhas. Brigola acrescenta: “O debate tem acontecido no âmbito da secretaria de Estado, a tutela directa do instituto de museus. A ministra da Cultura não participou dele.”

 

Fonte: Público, 06/04/2011

 

 

 

publicado por mhp às 09:00
link do post | comentar | favorito

Protocolo FCT/IMC

Caros investigadores,

Dado o interesse que o Protocolo FCT/IMC recentemente assinado poderá  ter para a sua Unidade de Investigação, informo que o texto do mesmo se encontra em:


http://alfa.fct.mctes.pt/apoios/protocolos/imc/2011/

De realçar a inclusão de uma nova área no próximo Concurso Geral de Bolsas, sob a designação "Museologia, Conservação e Restauro", onde se incluem a Museografia, a História, a História da Arte, a História de  Colecções e Museus e as Ciências Documentais, destinada a candidaturas para bolsas de doutoramento e pós-doutoramento. Nesta área só serão aceites candidaturas cujos projectos de doutoramento ou pós-doutoramento constituam investigação aplicada em contexto museológico, cujo objecto de estudo se centre numa unidade museológica da Rede Portuguesa de Museus ou nos serviços centrais do Instituto de Museus e Conservação.


Deste modo, para além do orientador ou responsável científico,pertencente a uma instituição do Ensino Superior ou a uma Unidade de
Investigação, é obrigatório indicar um co-orientador pertencente à unidade museológica na qual será desenvolvido o trabalho de investigação.


Com os meus melhores cumprimentos,

Francisco Sepúlveda Teixeira
(Vogal do CD da FCT)

publicado por mhp às 08:55
link do post | comentar | favorito
Quinta-feira, 7 de Abril de 2011

Arquivo do cardeal Cerejeira: 319 caixas de documentação e milhares de fotografias

 

 

O cardeal-patriarca de Lisboa admitiu que possam ter desaparecido documentos do arquivo de D. Manuel Gonçalves Cerejeira, visto que este “emprestou alguma documentação” e não sabe se ela voltou.


Na sessão pública de apresentação dos resultados do projecto de organização e descrição da documentação de D. Manuel Gonçalves Cerejeira, o actual patriarca de Lisboa, D. José Policarpo, sublinhou que o seu antecessor emprestou documentação ao embaixador Franco Nogueira e recorda-se — na altura – de ter visto um cartão escrito pelo cardeal Cerejeira a Oliveira Salazar onde defende a Juventude Operária Católica (JOC), no entanto “nunca mais” viu esse cartão. O fundo arquivístico de D. Manuel Gonçalves Cerejeira, 14º cardeal patriarca de Lisboa, encontra-se dividido em quatro sub-fundos, correspondente a quatro áreas funcionais do prelado: Secretaria Particular do cardeal Cerejeira (1929-1971) — abrange todo o período à frente da diocese; actividade desenvolvida enquanto estudante e professor da Universidade de Coimbra (1909-1928); arcebispo de Mitilene e vigário capitular do Patriarcado de Lisboa (1928-1929) e patriarca resignatário (1971-1977).


As 319 caixas de documentação albergam 22.965 documentos simples e compostos, 8.162 recortes de imprensa organizados em 210 temáticas, 660 dossiers e 329 capilhas de recortes de imprensa organizados cronologicamente. Acrescem a este espólio 3841 provas fotográficas organizadas em 82 álbuns, bem como 2961 fotografias avulsas organizadas.


O arquivo ficará disponível para os investigadores a partir de 2 de Maio.

 

 

publicado por mhp às 19:41
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 5 de Abril de 2011

1.º Congresso de História e Património da Alta Estremadura

O Centro do Património da Estremadura (CEPAE) e a Câmara Municipal de Ourém vão coordenar a organização do 1.º Congresso de História e Património da Alta Estremadura. A área geográfica abrangida pelas comunicações é o Distrito de Leiria e o Concelho de Ourém.


Em termos temáticos, comporta as seguintes secções:
     * Arqueologia

     * História

     * História da Arte

     * Património Cultural

     * Património Natural 

 

Comunicações: A submissão de propostas de comunicação é gratuita e deve ser feita para o e-mail congressoaltaestremadura@gmail.com até 31 de Julho de 2011, contendo os seguintes dados:

     * Nome | Morada | Telef./Telem. | E-mail | Habilitações académicas | Profissão | Instituição

     * Título da comunicação

     * Resumo da comunicação (até 300 palavras)

 

 Para mais informações: http://www.alta-estremadura.net/

publicado por mhp às 19:05
link do post | comentar | favorito
Sábado, 26 de Março de 2011

“Conversas de Poial”: Partilha de memórias reúne população do Centro Histórico de Palmela

 

 

As “Conversas de Poial” são uma proposta pela Câmara Municipal de Palmela, cujo obectivo é a partilha de memórias e para o debate entre a população do núcleo mais antigo da vila e as instituições locais. Os encontros têm lugar no Centro Histórico da Cidade.

 

Programa:

 

23 de Março | 14h00
Largo 5 de Outubro (local de encontro)
Jardim da Memória
Visita guiada aos vários jardins do Centro Histórico (trazer calçado confortável e água) 

 

15 de Abril | 20h30
Igreja da Misericórdia
Património Religioso no Centro Histórico de Palmela
Conversa sobre iconografia e práticas religiosas. 

 

17 de Maio | 20h30
Taberna Parreirinha
Porque é que este lugar não tem gente?

 

02 de Junho | 21h30
Adega FIAR
Habital (com arte) o Centro Histórico de Palmela
Um lugar de artes que nos tocam. Um convite à criatividade de cada um.

 

07 de Outubro | 21h00
Café Serafim
Um Lugar. Muitas Idades. Diferentes Vozes
Encontro de diferentes gerações.

 

Para mais informações:

http://www.cm-palmela.pt/pt/conteudos/noticias+e+eventos/noticias/destaques/Conversas+de+Poial+2011.htm

 

 

 

publicado por mhp às 11:39
link do post | comentar | favorito

Encontro de História Local “Memórias do Território 2011

 

 

Memórias do Território 2011 (Museu das Terras de Basto, 18 e 19 de Maio)


Com o título Memórias do Território 201,1 vai realizar-se no Museu das Terras de Basto (Núcleo Ferroviário de Arco de Baúlhe) um primeiro Encontro de História Local no qual se pretende dar a conhecer o território em que se insere o Município de Cabeceiras de Basto.


O ciclo de conferências Memórias do Território desdobra-se em dois dias, 19 e 20 de Maio, sendo o primeiro dia de conferências (cinco no total) e o segundo de visita ao património de Cabeceiras de Basto.

 

A inscrição é gratuita


Enviar inscrições para email: museu.cabeceiras@mail.telepac.pt

 

Para mais informações: http://museuterrasbasto.wordpress.com/

 

 

publicado por mhp às 11:31
link do post | comentar | favorito

Joaquim Veríssimo Serrão ultima 19.º volume da sua História de Portugal

Aos 85 anos, Joaquim Veríssimo Serrão, o homem que presidiu, durante 31 anos, à Academia Portuguesa da História, tem entre mãos a escrita do último dos 19 volumes da História de Portugal que começou a escrever em 1977.


Apesar da amizade que o ligou a Marcello Caetano, a que se manteve sempre fiel, Veríssimo Serrão garante que, em nome da verdade histórica, consegue manter o distanciamento para escrever o livro que retrata o período em que Caetano chefiou o Governo, antes da Revolução de abril de 1974, embora já sem a “vivacidade” que teve no passado.


“A História não é política”, disse à agência Lusa, frisando que, ao longo da sua vida, nunca teve qualquer envolvimento partidário.


Veríssimo Serrão, professor catedrático jubilado da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, ultima um projeto em que se lançou em 1977, quando publicou o primeiro volume da sua História de Portugal, relativo ao período de 1080 a 1415.


“Foi concebida para ser em três volumes. Acabou por se transformar no instrumento de trabalho do professor Veríssimo Serrão”, revelou à Lusa Martinho Vicente Rodrigues, diretor do Centro de Investigação Joaquim Veríssimo Serrão (CIJVS).


A viver agora num lar residencial, Veríssimo Serrão vai preenchendo os seus dias no ultimar desse projeto, ao mesmo tempo que procura inteirar-se da “construção” do seu Centro de Investigação, em vias de ser instalado numa parte do antigo Presídio Militar de Santarém.


Aí vão ficar à disposição de investigadores, mas também de curiosos e interessados pela História, os milhares de ficheiros que constituíram as “alfaias” da investigação desenvolvida ao longo de uma vida, bem como os 30.000 livros, 90 caixas de manuscritos, entre os quais a correspondência que trocou com Marcello Caetano, condecorações, telas, que legou em 2009 à câmara municipal de Santarém, cidade onde nasceu.


Duas terças-feiras por mês, das 18:00 às 19:30, o centro acolherá uma “assembleia de investigadores”, um espaço aberto a todos os membros para apresentação de comunicações e debate de ideias, prevendo ainda “assembleias extraordinárias” para oradores convidados.


O CIJVS procurará beneficiar da teia de relações criada por Veríssimo Serrão com academias e investigadores espanhóis e da América Latina, sobretudo do Brasil e Venezuela, disse Martinho Vicente Rodrigues à Lusa, sublinhando o compromisso da edição de uma revista, nos primeiros dois anos semestral e depois anual.

“Não gosto de uma estátua. Quero ser recordado pela minha biblioteca”, disse Veríssimo Serrão à Lusa, admitindo que o facto de ter sido reitor da Faculdade de Letras de Lisboa antes do 25 de abril (demitiu-se em 1974) não lhe granjeou simpatia entre os “abrilistas”.


Para Martinho Vicente Rodrigues, “não há dúvida” de que Veríssimo Serrão “é um dos grandes historiadores portugueses”, um reconhecimento patente nas muitas condecorações de que foi alvo, em Portugal (recebeu a Grande Cruz da Ordem de Santiago da Espada), mas sobretudo no estrangeiro, nomeadamente em Espanha, de que destaca o Prémio Príncipe das Astúrias de Ciências Sociais (1995).


Fonte: Agência Lusa


publicado por mhp às 10:14
link do post | comentar | favorito
Sábado, 19 de Março de 2011

Sessão pública de apresentação do Arquivo Pessoal do Cardeal Cerejeira

 

 

No próximo dia 1 de Abril de 2011, no Salão Nobre do Mosteiro de São Vicente de Fora, em Lisboa, terá lugar a sessão pública de apresentação dos resultados do projecto de intervenção arquivística no espólio documental de Dom Manuel Gonçalves Cerejeira (1888-1977), Cardeal Patriarca de Lisboa. Entre outras intervenções, conta com uma mesa redonda onde serão abordados diferentes aspectos do pontificado deste prelado da igreja lisbonense.

 

 

publicado por mhp às 01:03
link do post | comentar | favorito
Sábado, 12 de Março de 2011

II Encontro CITCEM "O Mar - Patrimónios, Usos e Representações"

II Encontro CITCEM 
O MAR - patrimónios, usos e representações 
20 - 22 de Outubro 2011
 

O CITCEM - Centro de Investigação Transdisciplinar «Cultura, Espaço e Memória» (FLUP/UM) organiza um encontro pluridisciplinar intitulado «O Mar - patrimónios, usos e representações» que decorrerá nos dias 20, 21 e 22 de Outubro de 2011 na Faculdade de Letras da Universidade do Porto. 

Call for papers/envio de propostas até 30 de Abril 2011 / e-mail: citcem@letras.up.pt 

Para mais informações, pf. consultar documento em anexo. 

II CITCEM Conference 
Heritage, Uses and Representations of the Sea 
20 - 22 de October 2011
 

The Transdisciplinary Research Centre «Culture, Space and Memory» (Faculty of Arts and Humanities of the University of Porto / University of Minho) will be organizing an interdisciplinary meeting on «Heritage, uses and representations of the Sea», to be held on the 20th, 21st and 22nd October 2011 at the Faculty of Arts and Humanities of the University of Porto. 

Call for papers/ send proposals by April 30, 2011 / e-mail: citcem@letras.up.pt 

For further information please see the attached document.

publicado por mhp às 14:41
link do post | comentar | favorito

Congresso internacional "Casa Nobre: Um Património para o Futuro"

                                                                                               

 

A terceira edição do Congresso Internacional "Casa Nobre: Um Património para o Futuro" ocorrerá nos dias 2, 3 e 4 de Dezembro de 2011.

 

Relembro que a data limite para apresentação de papers é o dia 14 de Abril.

 

Para mais informações consultar o seguinte site: http://sites.google.com/site/casanobrecongresso/

publicado por mhp às 00:03
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 11 de Março de 2011

Congresso internacional "Rota das Catedrais"

                                                                                                  

 

Nos dias 7, 8 e 9 de Abril irá decorrer no Museu municipal de Faro o congresso internacional "Rota das Catedrais".

 

Podem consultar toda a informação respeitante a este congresso no seguinte site: http://www.congressocatedrais.com/page1.php

 

Deixo em seguida uma pequena apresentação da "Rota das Catedrais":

 

"Múltiplas vezes, a historiografia tem registado que as catedrais, sobretudo as que se desenvolvem no período medieval, abriam os seus pórticos para ensinar, para divulgar a ciência dos doutores que se produzia dentro dos seus muros. Tal visão assenta quer no entendimento etimológico dos vocábulos “catedral” ou “sé” (lugar da cátedra ou sede), quer na praxis do magistério confiado aos bispos, ao longo dos tempos.
Não foi necessário decorrerem muitos séculos para que essas mesmas catedrais se tornassem, elas mesmas, no objecto estudado, não só pela própria arte, que nelas viu motivo de revivalismo, como também por outras disciplinas do saber, preocupadas com os que construíram as sedes episcopais, com as motivações dos que nelas viveram e como nelas se desenhou e continua a desenhar o quotidiano ou o romper do ritmo normal dos dias, quando estes edifícios se vestem de festa.
Ao tomar as catedrais como objecto de estudo, importa ler as fontes, perceber a lógica territorial que subjaz a estes imóveis, as configurações artísticas de que se revestem estes edifícios que, mais do que integrarem a paisagem construída das cidades, são peças umbilicalmente ligadas à paisagem urbana, porquanto esta os considerou como primordial elemento de organização. Ao tomar as catedrais como objecto de estudo, importa também assumir a consciência da importância da gestão e da conservação do património catedralício, material e imaterial, da animação cultural destes edifícios e da programação a propor à comunidade, a fim de que se possam projectar as suas potencialidades e os seus desafios no contexto de uma urbanidade contemporânea.
Na esteira do que é o entendimento do Ministério da Cultura e da Conferência Episcopal Portuguesa, que lêem as catedrais como «tecido nevrálgico de memória e de identidade» (Acordo de Cooperação Rota das Catedrais), o projecto Rota das Catedrais olha para estas edificações como um «todo coerente e identitário» que urge ser vivido a partir de uma consciência potenciada pelo estudo histórico e pela contemplação estética que fará acontecer o encontro entre os objectivos religiosos, culturais e turísticos e que fará intervir nos espaços através da reabilitação patrimonial em ordem a «devolver os monumentos à comunidade», a «envolver a comunidade na protecção e valorização dos monumentos» e a promover a «estima colectiva» por este património.
Olhar para as catedrais como «um património profundamente identitário, plural e multifacetado» é o objectivo primeiro deste Congresso Internacional."

 

publicado por mhp às 23:44
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 23 de Fevereiro de 2011

VI Congresso Internacional de História Marítima

 

 

Está aberto, até ao dia 31 de Março, o Call for Papers para o 6th International Congress of Maritime History. Enquanto as primeiras edições abordaram um conceito mais amplo do conceito de história marítima, que interliga várias disciplinas de diferentes períodos e áreas históricas, desta vez pretende-se promover e explorar a relação da humanidade com o mar até aos dias de hoje.

 

As propostas devem ser enviadas para imeha2012@ugent.be.
 

O congresso terá lugar em Ghent, Bélgica, de 2 a 6 de Julho de 2012 e é co-organizado pela Faculdade de Letras da Universidade do Porto (FLUP).

 

Para mais informações:
http://www.imeha2012.ugent.be/

 

publicado por mhp às 16:04
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 15 de Fevereiro de 2011

Bolsa de Investigação

Até 21 de Fevereiro 2011

 

Concurso da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa para duas Bolsas de Investigação no âmbito do Centro de História – Projecto Memória e Historiografia: fontes para a história portuguesa (séculos XVIII-XX).

 

Disponível em:


http://www.fl.ul.pt/investigacao/bolsas_flul.html
http://www.eracareers.pt/opportunities/index.aspx?task=global&jobId=22052

publicado por mhp às 11:28
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 1 de Fevereiro de 2011

VI Encontro Nacional de Estudantes de História

O Encontro Nacional de Estudantes de História decorrerá entre os dias 24 e 27 de Março, na Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.

 

Para conhecerem o programa e possivel participação deixo-vos o link da página do ENEH:

 

https://sites.google.com/site/enehevent2011/home

publicado por mhp às 18:59
link do post | comentar | favorito

.Informações sobre o MHP

.pesquisar

 

.Abril 2012

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.links

.arquivos

. Abril 2012

. Agosto 2011

. Julho 2011

. Junho 2011

. Maio 2011

. Abril 2011

. Março 2011

. Fevereiro 2011

. Janeiro 2011

.posts recentes

. Sidónio Pais vai ter Muse...

. ARQUIVO SECRETO DO VATICA...

. Túmulo nos Jerónimos pode...

. Seminário: "Redes de Muse...

. Conferências “História e ...

. Congresso Nacional de His...

. Congresso “O Porto Românt...

. V Caminhada pela História...

. Breves Notícias

. Protocolo FCT/IMC

. Arquivo do cardeal Cereje...

. 1.º Congresso de História...

. “Conversas de Poial”: Par...

. Encontro de História Loca...

. Joaquim Veríssimo Serrão ...

. Sessão pública de apresen...

. II Encontro CITCEM "O Mar...

. Congresso internacional "...

. Congresso internacional "...

. VI Congresso Internaciona...

. Bolsa de Investigação

. VI Encontro Nacional de E...

.Últimos Comentários

Bom dia,O link está com um problema, que não permi...
Joana,O novo site ainda está em construção, mas o ...
Boa noiteGostaria de saber qual o novo endereço do...
Boa entrada, Paulo. Esta iniciativa seria um óptim...

.tags

. todas as tags